Geral

Japão busca ajuda dos EUA para resfriar usina nuclear

Da Redação ·
O Japão solicitou o auxílio dos Estados Unidos para controlar a situação em suas danificadas usinas nucleares, após o terremoto e subsequente tsunami na sexta-feira passada, afirmou hoje a comissão regulatória nuclear americana. "O governo japonês pediu formalmente a assistência dos Estados Unidos, no momento em que continua a responder às questões relativas ao resfriamento da usina nuclear geradas por um terremoto e um tsunami em 11 de março", afirma a agência, conhecida pela sigla NRC em inglês. "Como parte de uma resposta mais ampla do governo dos EUA, a NRC está considerando possíveis respostas ao pedido, que incluem o fornecimento de conselhos técnicos." A NRC já enviou dois especialistas em reatores do mesmo tipo daqueles que apresentaram problemas no Japão, como parte de uma equipe da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (Usaid). Eles estão "atualmente em Tóquio oferecendo assistência técnica", revelou a NRC. Além disso, a NRC monitora a situação nos reatores japoneses de sua sede em Maryland 24 horas por dia, porém "não irá comentar de hora em hora os acontecimentos dos reatores japoneses". A agência nota que essa questão é primariamente de responsabilidade do Japão. Mais cedo, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) informou que Tóquio solicitou uma equipe de especialistas da AIEA para ajudar no caso. A agência disse estar discutindo os detalhes sobre essa ajuda. Logo após o violento terremoto da sexta-feira, foram detectados problemas na usina nuclear em Fukushima, 250 quilômetros a nordeste de Tóquio. A AIEA fez no mesmo dia uma oferta de ajuda ao governo japonês. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade