Geral

Apesar de referendo, Acre mantém fuso horário

Da Redação ·
Os acreanos não sabem ao certo qual fuso horário será adotado pelo Estado. Um referendo realizado em outubro do ano passado apontou que 56,8% da população prefere atrasar os relógios em uma hora e, assim, ficar a duas horas de diferença de Brasília. No entanto, até agora os relógios não foram acertados, pois a Câmara Federal concluiu que a consulta popular não foi válida. A confusão começou em 2008, quando o então senador Tião Viana (PT), hoje governador do Estado, apresentou uma lei que alterava o horário do Acre e de parte do Amazonas e do Pará, em vigor desde 1913. O texto foi aprovado e os acreanos tiveram de adiantar os relógios em uma hora, ficando com uma hora de diferença de Brasília. A mudança, no entanto, não foi bem aceita pelos acreanos, e a Câmara decidiu pelo referendo. Passados quase cinco meses da consulta popular, a Câmara concluiu que o referendo não foi válido porque os moradores de parte do Amazonas e Pará, onde a lei de 2008 também vigora, não foram consultados. Embora haja muita expectativa, o impasse sobre a hora definitiva do Acre deve se estender por pelo menos mais 30 dias, quando o Senado deverá votar um projeto de lei que ratifica o resultado do referendo, restabelecendo o fuso horário de 1913. O texto está em elaboração na Comissão de Constituição e Justiça. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
continua após publicidade