Geral

Premiê egípcio diz que estabilidade está sendo retomada

Da Redação ·
O primeiro-ministro do Egito, Ahmed Shafiq, disse que a estabilidade está sendo retomada no país, após 12 dias de manifestações contra o governo. Ele mostrou-se confiante de que haverá uma solução para a crise sem a saída imediata do presidente Hosni Mubarak do poder. Os comentários foram feitos na TV estatal. Do outro lado, os manifestantes dizem que continuarão protestando até que Mubarak, de 82 anos, deixe o governo. Milhares de pessoas continuam reunidas na Praça Tahrir hoje, mas Shafiq disse que a manifestação de 100 mil pessoas ontem não conseguiu forçar a saída do presidente. "Não fomos afetados e pelo desejo de Deus não seremos afetados", afirmou. "Tudo isso nos leva à estabilidade". Manifestantes afirmam ter se reunido na noite de ontem com o primeiro-ministro para discutir a saída de Mubarak. "Foi uma mensagem para ver como resolver a crise. A mensagem é de que eles (o governo) devem reconhecer a legitimidade da revolução e que o presidente deve sair de um modo ou de outro", afirmou Abdel-Rahman Youssef, um jovem ativista ligado ao movimento do líder oposicionista Mohamed ElBaradei. "Não há força que retire os jovens da praça". Um "grupo dos homens sábios" tem circulado ideias para tentar quebrar o impasse entre os manifestantes e o governo. Uma das propostas é que Mubarak "nomeie" seu vice-presidente, Omar Suleiman, como representante de seus poderes e, por enquanto, abandone tudo, menos no nome. Os "homens sábios", que não participam das manifestações nas ruas, reuniram-se duas vezes nos últimos dias com Suleiman e com o primeiro-ministro, disse Amr el-Shobaki, membro do grupo. Entre suas propostas está também a dissolução do Parlamento, monopolizado pelo atual partido do governo, e o fim das leis emergenciais, que dão às forças de segurança poderes quase ilimitados. Segundo o jovem ativista Youssef, os manifestantes avaliam as propostas dos "homens sábios", mas "o problema é que o presidente não está se conscientizando de que se tornou um fardo para todos, psicologicamente, civilmente e militarmente". Israa Abdel-Fattah, membro do grupo Abril 6, outro dos movimentos de jovens que lideram as manifestações, também afirmou haver apoio às propostas dos "homens sábios" entre os manifestantes. Hoje, circularam rumores na Praça Tahrir de que o exército, que tem evitado o confronto dos manifestantes com partidários de Mubarak, preparava-se para deixar o local. Com isso, os jovens se sentaram em frente aos tanques, para evitar a saída. As informações são da Associated Press.
continua após publicidade