Geral

Acusados de matar delegado são julgados em SP

Da Redação ·

Deve terminar amanhã o julgamento de dois acusados de envolvimento na morte do delegado Adelson Taroco, em 2006, durante uma rebelião na cadeia pública de Jaboticabal (SP). Ontem, o julgamento entrou no segundo dia, com os réus e 15 testemunhas ouvidas.


Em agosto de 2009, sete acusados de participar do crime foram julgados e condenados. Após um recurso, estão de volta ao banco dos réus Wanderson Carlos da Silva Rigler e Helton Wander Cruz Ferreira. Os outros foram absolvidos do crime de homicídio, mas pegaram cinco anos de reclusão por motim, incêndio e danos ao patrimônio público.


Taroco, na época com 39 anos, foi morto durante uma rebelião na cadeia de Jaboticabal, onde era diretor. O delegado entrou na ala dos presos para negociar, mas foi dominado e enrolado em um colchão. Em seguida, os detentos atearam fogo ao policial. O delegado teve 80% do corpo queimado e morreu 20 dias depois no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto.

continua após publicidade