Geral

ONU pede que Egito apure confrontos durante protestos

Da Redação ·
A principal autoridade para os Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Navi Pillay, disse hoje que o Egito deve realizar uma investigação "transparente e imparcial" sobre os violentos confrontos desta semana entre manifestantes pró e contra o regime do presidente Hosni Mubarak. "O primeiro-ministro (Ahmed Shafiq) se desculpou pela violência da quarta-feira. Eu saúdo este reconhecimento público - único na história recente do Egito - de que as autoridades fracassaram em sua tarefa de proteger o povo", disse a funcionária a jornalistas. "Eu insto o Egito a prosseguir e fazer as reformas necessárias para promover os direitos humanos e a democracia", prosseguiu Pillay. "Deve haver uma investigação sobre se esta violência foi planejada e, se foi, por quem. Essa investigação deve ser realizada de uma maneira transparente e imparcial", afirmou a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade