Geral

Líder islâmico retorna ao país após 20 anos no exílio

Da Redação ·

O histórico líder islâmico Rachid Gannuchi retornou neste domingo (30) à Tunísia, após permanecer mais de duas décadas no exílio, sendo recebido por milhares de seguidores eufóricos no aeroporto internacional de Túnis.

continua após publicidade

Gannuchi só pode voltar ao país depois que o movimento, chamado de Revolução de Jasmim, derrubou há uma semana o regime do presidente Ben Ali. Os protestos na Tunísia se espalharam pelo mundo árabe e agora ameaçam o presidente do Egito.

continua após publicidade

Aos gritos de "O povo é muçulmano e não se rende", "Não há outro Deus senão Alá" e "Alá é grande", as mais de 2.000 pessoas concentradas na ala de desembarque do aeroporto se esforçaram para saudar o dirigente, que saiu do aeroporto protegido por várias dezenas de seus seguidores.

continua após publicidade

Mohamed al Bahri, membro do comitê executivo do movimento Al Nahda ("O Renascimento", em árabe), do qual Gannuchi é líder, disse que "hoje Gannuchi volta a seu povo, a seu país, para ver cumpridos seus direitos políticos".

- A presença de Gannuchi hoje é uma prova da liberdade e de que todos os tunisianos, sem exceção, gozam de liberdade.

continua após publicidade

Por sua vez, outro líder do movimento islâmico tunisiano, Abdelfatah Moro, destacou: "Hoje é um dia de alegria, não só para nós, mas para toda a Tunísia".