Geral

Policial militar fará 'bico' oficial em Sorocaba-SP

Da Redação ·
A prefeitura de Sorocaba, no interior de São Paulo, vai pagar R$ 2 milhões por ano ao governo do Estado para que os policiais militares permaneçam mais tempo em policiamento nas ruas da cidade. Os detalhes do convênio serão anunciados na próxima terça-feira pelo prefeito Vitor Lippi (PSDB). Segundo ele, com o repasse dos recursos municipais, a Secretaria de Segurança Pública do Estado poderá colocar nas ruas policiais que estariam de folga. O valor cobriria horas extras e adicionais, aumentando a remuneração dos soldados. De acordo com o prefeito, Sorocaba será a primeira cidade do interior paulista a firmar o convênio com o governo do Estado. Na capital, segundo ele, a chamada "operação delegada", em vigor desde dezembro de 2009, diminuiu de forma significativa o número de ocorrências criminais na área central. O anúncio do "bico" oficial desagradou a Guarda Municipal, que teme a perda de espaço. Procurado pelos guardas, o vereador Geraldo Reis (PV) protocolou pedido de informações à prefeitura. Segundo ele, a prefeitura vai pagar ao policial militar quase o dobro do que paga para um guarda municipal. "O valor de repasse para os policias militares será de R$ 16,45 a hora trabalhada, enquanto o guarda municipal recebe R$ 6,93 a hora trabalhada." Ainda de acordo com Reis, o salário de um policial militar no Estado é de, no mínimo, R$ 2.500, enquanto os guardas municipais recebem R$ 1.386 - uma diferença de R$ 1.114, mesmo prestando um serviço similar. Para o vereador, o convênio entre a prefeitura e a Polícia Militar é condenado por especialistas em segurança pública, que o consideram um paliativo para melhorar o ganho do policial sem precisar dar reajuste. "Como o governo não consegue impedir o trabalho extra dos policiais em horário de folga, o chamado 'bico', em que eles atuam como guardas particulares, decidiu oficializar esse 'bico', fazendo convênio com as prefeituras." Reis pediu ao prefeito que reconsidere a proposta. A prefeitura informou que a atuação da PM será complementar e não vai interferir no trabalho da Guarda.
continua após publicidade