Geral

Advogado vai ao STF pedir liberdade do goleiro Bruno

Da Redação ·
 Foto de arquivo de Bruno Fernandes sendo levado a prestar depoimento
fonte: Eugênio Moraes/Jornal Hoje em Dia
Foto de arquivo de Bruno Fernandes sendo levado a prestar depoimento

O advogado do goleiro Bruno Fernandes, Claudio Dalledone Júnior, disse em entrevista ao R7 nesta quarta-feira (26) que vai entrar com um pedido de liberdade para seu cliente no STF (Supremo Tribunal Federal).

continua após publicidade

Entre vários argumentos, o defensor anunciou que vai apontar que o juízo de Contagem (MG), onde o caso tramita atualmente, é incompetente para apreciar o caso.

continua após publicidade

Estudos privados contratados por Dalledone dão conta de que o sítio de Bruno fica na cidade de Esmeralda. A casa do suspeito Marcos Aparecido dos Santos, Bola, fica no município de Vespasiano. Esses são os dois locais apontados pela Promotoria onde teria acontecido o assassinato da ex-amante do goleiro Eliza Samudio. O corpo de Eliza não foi localizado.

continua após publicidade

A manobra de Dalledone é similar a usada pela defesa dos acusados de matar Mércia Nakashima, em São Paulo. A vítima morreu em Nazaré Paulista, mas o caso tramita em Guarulhos. Em novembro de 2010, desembargadores da 12ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo decidiram que o julgamento do caso deve seguir em Guarulhos.

Dalledone já entrou com recurso questionando a competência do caso no Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Os desembargadores da 4ª Câmara julgaram em novembro do ano passado que a competência é mesmo de Contagem, pois existe a suspeita de que nessa cidade o “ato teria sido consumado”.

continua após publicidade

O advogado diz que com a tramitação em Contagem, Bola fica sem sua ampla defesa, pois ele reside em Vespasiano.
– A competência [ser colada em Contagem] é um abuso, uma ilegalidade e uma injustiça.


Caso o caso comece a tramitar em outra comarca, o novo juiz poderá anular parte ou todo o processo se entender que isso o ajudará a tomar suas decisões.