Geral

Mais de 580 militares e 225 homens da Força Nacional trabalham no Rio

Da Redação ·
 Nova Friburgo (RJ) - O bairro de Duas Pedras ficou destruído com as fortes chuvas que atingiram o município de Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro
fonte: Valter Campanato/ABr
Nova Friburgo (RJ) - O bairro de Duas Pedras ficou destruído com as fortes chuvas que atingiram o município de Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro

Um levantamento da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República aponta que 586 militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica trabalham neste momento na região serrana do Rio de Janeiro, atingida por enchentes e deslizamentos de terra.
 

continua após publicidade

Ao todo, 12 helicópteros estão sendo utilizados no socorro às vítimas, além de três ambulâncias, 74 viaturas, quatro máquinas pesadas (duas retroescavadeiras e duas pás carregadeiras), dois geradores, uma torre de iluminação, 15 barracas e um hospital de campanha.
 

Os militares designados para Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis atuam na desobstrução de vias, na remoção de escombros, na distribuição de donativos, no atendimento médico e no transporte de vítimas.
 

continua após publicidade

O balanço indica ainda que 225 homens da Força Nacional foram enviados ao local – 80 bombeiros militares especialistas em resgates, 130 policiais militares e 15 peritos para auxiliar na identificação dos corpos.
 

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome disponibilizou 8 mil cestas de alimentos e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do Ministério da Agricultura, encaminhou 44 toneladas de alimentos para a região.
 

O Ministério da Saúde enviou ao local 7 toneladas de medicamentos e insumos – ao todo, 30 kits, suficientes para atender 45 mil pessoas por um período de um mês. Há ainda 50 voluntários de seis hospitais federais do Rio de Janeiro que realizam atendimento nas cidades atingidas.
 

O Ministério da Integração Nacional, por meio da Secretaria Nacional de Defesa Civil, colocou à disposição da região 4 mil barracas de lona.