Geral

Chuva deixa Nova Friburgo em alerta na madrugada deste domingo

Da Redação ·
 Nova Friburgo - Voltou a chover forte em Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro, no início da tarde de ontem (15)
fonte: Valter Campanato/ABr
Nova Friburgo - Voltou a chover forte em Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro, no início da tarde de ontem (15)

A Defesa de Civil de Nova Friburgo segue em estado de alerta na madrugada deste domingo (16), em virtude das chuvas que voltaram a atingir o município da Região Serrana do Rio desde a tarde de sábado. O número de mortos em toda a região já passa de 600 desde terça-feira (11).
 

continua após publicidade

A chuva forte durante a tarde voltou a deixar várias ruas alagadas na cidade. O nível do Rio Bengalas voltou a subir e está próximo de transbordar novamente. E, segundo o coordenador de Defesa Civil do município, tenente-coronel Roberto Robadey, o estado de alerta segue até o meio-dia deste domingo.
 

De acordo com o novo aviso meteorólogico especial do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), no período há possibilidade de ocorrência de chuvas moderadas a fortes, especialmente nas Regiões Serranas, toda extensão de fronteira com Minas Gerais, Sul Fluminense e em áreas isoladas do restante do estado do Rio de Janeiro.
 

continua após publicidade

Por isso, o coronel Robadey recomenda que a população procure locais seguros, já que o tempo "pode piorar", e a atitude seria uma "autodefesa": "Toda nossa equipe está em estado de alerta por causa das chuvas. Voltou a chover forte neste sábado, em todo o município, mas não registramos nenhuma ocorrência grave. Vamos continuar atuando para ajudar a população", disse.
 

Em Petrópolis, não chove durante a madrugada e também não há registro de novos desabamentos, segundo informou o Corpo de Bombeiros do município.
 

Buscas continuam na madrugada
 

continua após publicidade

Equipes dos bombeiros e da Defesa Civil continuam, nesta madrugada, as buscas por vítimas das chuvas nos municípios de Nova Friburgo e Teresópolis. Já em Petrópolis, os bombeiros suspenderam o trabalho de resgate devido à falta de luz.

 

Outros dois municípios também tiveram áreas devastadas: Bom Jardim e Areal. A Defesa Civil não descarta a possibilidade de haver vítimas fatais nessas cidades. Nos sete municípios atingidos, o número de desabrigados e desalojados chega a 15 mil. O Exército anunciou que neste domingo vai começar a montar pontes móveis para facilitar o acesso a algumas cidades.
 

Aos poucos, os problemas de comunicação na cidade começam a se resolver. Teresópolis recebe reforço de mais 130 homens da Força Nacional e os desabrigados ganharam quatro telefones gratuitos para falarem com famílias.
 

continua após publicidade

Os serviços de água e luz ainda são precários na Região Serrana. Em Teresópolis, 60% da população continua sem abastecimento de água.
 

Cabral decreta luto no RJ

O governador Sérgio Cabral decretou luto oficial no estado do Rio de Janeiro por sete dias, pelas vítimas das chuvas na Região Serrana do Estado. O decreto, assinado na sexta-feira (14), entra em vigor na próxima segunda (17), quando será publicado no diário oficial.
 

A presidente da República, Dilma Rousseff, decretou luto oficial de três dias. A homenagem teve início na sexta-feira (14) e se encerra no domingo (16).
 

Maior tragédia da história


Esta já é a maior tragédia climática da história país. O número de vítimas ultrapassou o registrado em 1967, na cidade de Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo. Naquela tragédia, tida até então como a maior do Brasil, 436 pessoas morreram.
 

No ano passado, de janeiro a abril, o estado do Rio teve 283 mortes, sendo 53 em Angra dos Reis e Ilha Grande, na virada do ano, 166 em Niterói, onde se localizava o Morro do Bumba, e 64 no Rio e outras cidades atingidas por temporais em abril.