Geral

Circuito de Moda Carioca integra economia e cultura

Da Redação ·
O evento conta com apoio do governo fluminense e da prefeitura carioca
fonte: googleimagens.com
O evento conta com apoio do governo fluminense e da prefeitura carioca
continua após publicidade

O Arranjo Produtivo Local (APL) de São Cristóvão, bairro do Rio que reúne desde micro e pequenas confecções a algumas das mais famosas grifes de moda do Brasil, realiza pela primeira vez, nessa quarta-feira (18),  o Circuito  de Moda Carioca. O evento conta com apoio do governo fluminense e da prefeitura carioca, além do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) do Rio de Janeiro e da Federação das Indústrias do Estado (Firjan).

O coordenador do APL de São Cristóvão e do Núcleo de Empreendedorismo da Universidade Veiga de Almeida, Celso Leonardo Barbosa, informou que o Arranjo produtivo Local tem atualmente 55 empresas que geram 4 mil empregos diretos e faturam em torno de R$ 700 milhões por ano. Em 2010, o número de empresas deverá chegar a 100, tendo em vista que em São Cristóvão funcionam cerca de 295 confecções ligadas à moda, que “estão conseguindo crescer, resistindo à crise [internacional]. Hoje,  há vaga para novos postos de trabalho em quase todas as empresas”.

continua após publicidade

O 1º Circuito de Moda Carioca  tem o objetivo de mostrar que o espaço onde se fabrica moda pode ser também um espaço de consumo, disse Barbosa.  “Ou seja, criar no Rio de Janeiro um novo espaço de consumo que, na verdade, é um programa turístico e cultural. A gente vai mostrar que São Cristóvão tem um potencial de beber na fonte. Ou seja, as pessoas vão comprar a preço de fábrica, com um programa  turístico-cultural, e ter uma experiência gastronômica”.  

Esse conceito de aliar o aspecto econômico ao cultural já é consolidado no exterior e está sendo trazido agora para o Rio, destacou o coordenador do APL. Além de dar ao público a oportunidade de comprar direto da fábrica produtos de marcas conhecidas com até 70% de desconto, o circuito oferecerá a chance de os consumidores visitarem as confecções e conversarem com os estilistas, a exemplo do que já ocorre nos programas de ateliês de artes abertos à visitação.

Os cerca de 12 mil visitantes esperados para o circuito receberão a lista das lojas de fábricas participantes, além de um mapa com a programação especial dos museus existentes no bairro e o festival de gastronomia promovido pelos restaurantes locais.  Barbosa salientou o aspecto institucional do evento, uma vez que não há objetivo de lucro por parte dos organizadores. A idéia é fomentar o crescimento e o desenvolvimento das micro e pequenas confecções.

continua após publicidade

“A gente não tens fins lucrativos. Não é um evento para dar lucro, mas sim para dar resultados a quem está envolvido: não só às marcas, mas ao bairro, à cidade, ao estado”.

O 1º Circuito de Moda Carioca se estenderá até o dia 21 deste mês. A próxima edição já está agendada para setembro próximo, com o lançamento da nova coleção.