Geral

Após incêndio, 18 famílias perdem casas no litoral de SP

Da Redação ·
Dezoito famílias ficaram desabrigadas após o incêndio que atingiu uma favela e queimou entre 12 e 15 barracos em São Vicente, na Baixada Santista, na madrugada de hoje. Não houve feridos. O fogo no local, conhecido como "favela do Bugre" ou "favela do lixão", no bairro Jóquei Clube, começou por volta de 1h35 da madrugada. Sete viaturas dos bombeiros e 16 homens trabalharam para controlar as chamas, que, segundo o Corpo de Bombeiros, foram efetivamente apagadas por volta das 5h00 da madrugada. De acordo com a Diretora da Secretaria de Assistência Social de São Vicente, Denise Brandão, das 18 famílias atingidas, 16 foram encaminhadas para casas de parentes e duas estão no abrigo da prefeitura. "Ainda não temos o número exato de pessoas que perderam suas casas, mas são cerca de 50. Trouxemos cestas básicas para as que estão com os parentes para dar uma ajuda nesses dois dias e já agendamos a sequência do atendimento para segunda-feira", afirmou a assistente social, contando que a maior parte das famílias atingidas não estava no local durante o incêndio. "Muitos deles estavam ceando na casa de parentes". A prefeitura de São Vicente informou que todas as família atingidas pelo incêndio estão cadastradas em um programa habitacional e a partir da próxima semana deverão receber um auxílio aluguel de cerca de R$ 300. São Vicente já garantiu recursos federais de R$ 58 milhões do Plano de Aceleração de Crescimento (PAC) 2 para construir cerca de 4 mil moradias para as famílias que moram em palafitas em toda a área conhecida como Dique do Sambaiatuba - onde fica a favela do Bugre. As obras devem começar na metade do próximo ano e ser concluídas até o final de 2012.
continua após publicidade