Geral

Impasse causa tensão entre EUA e Venezuela

Da Redação ·
As tensões de longa data entre Estados Unidos e Venezuela estão em ascensão, à medida que Washington se recusa a nomear outro embaixador para Caracas. Hugo Chávez prometeu rejeitar o indicado de Barack Obama, Larry Palmer, dizendo que as observações críticas do diplomata sobre seu governo o desqualificaram. Durante o processo de confirmação da nomeação no Senado, Palmer sugeriu que a moral está baixa nas forças armadas venezuelanas e também expressou preocupação com rebeldes colombianos refugiados no país vizinho. O Ministério de Relações Exteriores da Venezuela classificou a insistência do governo norte-americano como uma "nova provocação" em um comunicado divulgado ontem, dizendo que Palmer não será bem recebido em quaisquer circunstâncias por causa de sua "conduta inaceitável". Mais tarde, Chávez reiterou tal postura em um discurso televisionado pela emissora estatal. Palmer "desrespeitou a Venezuela, um grupo de generais honrosos das forças armadas, a Constituição da Venezuela", disse o presidente venezuelano. "Como ele pode ser embaixador? Ele se desqualificou." Dirigindo-se ao ministro de Relações Exteriores, Nicolas Maduro, Chávez afirmou que Palmer deve ser detido e deportado se tentar voar para o Aeroporto Internacional de Caracas, nos arredores de Maiquetia. "Se ele chegar em Maiquetia, agarre-o Nicolas, agarre-o", disse o presidente. "Compre um café ao senhor Palmer por mim e, então, tchau tchau. Ele não pode entrar neste país." O secretário-assistente de Estado dos EUA, Arturo Valenzuela, disse na quinta-feira que, se o Senado aprovar Palmer como embaixador, ele em breve será enviado para Caracas. "Com a chegada de Palmer na Venezuela, nós vemos um esforço dos dois países para tentar estabelecer um diálogo mais fluente", afirmou ele a repórteres. Chávez, cuja economia depende fortemente das vendas de petróleo aos Estados Unidos, inicialmente expressou otimismo de que anos de hostilidade entre Venezuela e Estados Unidos poderiam terminar com a administração de Obama, mas as tensões persistiram. O presidente venezuelano afirma que a gestão atual continua tentando minar seu governo. As informações são Associated Press.
continua após publicidade