Geral

Caso Eliza: ex de Bruno e mais três deixam a cadeia

Da Redação ·
 O caseiro do sítio onde Eliza Samudio teria ficado antes de desaparecer, Elenilson Vitor da Silva, encontra parentes após sair de presídio
fonte: Alisson Gontijo/O Tempo/AE
O caseiro do sítio onde Eliza Samudio teria ficado antes de desaparecer, Elenilson Vitor da Silva, encontra parentes após sair de presídio

Quatro acusados envolvidos no caso Eliza Samudio que responderão ao processo em liberdade foram soltos na madrugada de sábado (18) após decisão judicial. Entretanto, a juíza Marixa Fabiane Lopes manteve quatro réus presos: o goleiro Bruno Fernandes, o amigo dele Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como Macarrão, o primo Sérgio Rosa Sales e o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. Dos nove acusados, oito irão a júri popular.

continua após publicidade

Dayanne Rodrigues do Carmo Souza - ex-mulher de Bruno -, a ex-amante do jogador Fernanda Gomes de Castro, Elenilson Vitor da Silva e Wemerson Marques de Souza responderão ao processo em liberdade, mas também irão a julgamento. Fernanda foi pronunciada por sequestro e cárcere privado de Eliza e de seu filho. Já Dayanne, Elenilson e Emerson responderão pelos mesmos crimes, mas cometidos apenas contra o filho da vítima. Todos os réus alegam inocência.

continua após publicidade

Após 150 dias de prisão, Wemerson Marques, o Coxinha, e Elenilson Vítor da Silva foram para Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Parentes e vizinhos esperavam por eles. O clima era de comemoração na primeira noite de liberdade. Emocionada, Dayanne disse que quer ver os filhos.

continua após publicidade

Detalhes sórdidos

Em sua decisão de manter Bruno e os outros três acusados presos até o julgamento, a juíza Marixa Fabiane Lopes alegou que “os delitos contam com detalhes sórdidos e ultrapassam os limites da crueldade".

continua após publicidade

Das nove pessoas que foram inicialmente denunciadas pelo Ministério Público, apenas Flávio Caetano de Araújo não irá a júri popular. Ele foi solto do presídio Nelson Hungria no dia 27 de novembro após ter liberdade concedida pela Justiça.

A data para o julgamento ainda não foi definida. Ainda cabe recurso da defesa na decisão da Justiça.