Geral

Sakineh Ashtiani aparece confessando assassinato na TV

Da Redação ·
 Imagem de canal iraniano em inglês Press-TV, que transmitiu nesta noite entrevista com a condenada à morte Sakineh
fonte: AFP
Imagem de canal iraniano em inglês Press-TV, que transmitiu nesta noite entrevista com a condenada à morte Sakineh

O canal iraniano em inglês Press-TV transmitiu na noite desta sexta-feira (10) um programa sobre o caso de Sakineh Mohammadi Ashtiani, destacando a dimensão criminosa desta mãe de 43 anos condenada a morrer apedrejada em um caso que mistura o homicídio de seu marido e adultério.

continua após publicidade

No programa, foram entrevistados a condenada, seu filho Sajjad Ghaderzadeh e seu último advogado, Hutan Kian. Os três estão presos atualmente.

continua após publicidade

Press-TV não transmitiu nenhum dado novo sobre o caso que provocou grande comoção e uma forte mobilização no Ocidente.

continua após publicidade

No entanto, no programa se critica a ativista iraniana Mina Ahadi, porta-voz do Comitê Internacional contra o Apedrejamento (Icas), sediado em Berlim, por ter instrumentalizado este assunto com a ajuda da imprensa ocidental com finalidade de prejudicar a República Islâmica do Irã.

Sakineh, que está presa em Tabriz (noroeste do Irã), foi condenada à morte por dois tribunais diferentes em 2006 pelo envolvimento no assassinato do seu marido. Sua condenação por assassinato foi reduzida em 2007 a 10 anos de prisão, mas a sentença de morte por apedrejamento por adultério foi confirmada no mesmo ano por outra corte de apelação.

continua após publicidade

A revelação do caso em julho por associações pró-direitos humanos provocou forte mobilização no Ocidente, onde muitos países e personalidades pediram que não se aplique a sentença, que qualificaram de "selvagem".