Geral

WikiLeaks: economia cubana se agravará em até 3 anos

Da Redação ·

Um telegrama diplomático norte-americano revelado pelo site WikiLeaks prevê que a situação econômica de Cuba se tornará "péssima" em dois ou três anos e detalha as preocupações de diplomatas de outros países, dentre eles da China, que acreditam que o país comunista não tenha adotado reformas econômicas com a velocidade adequada.

continua após publicidade

O telegrama foi escrito em fevereiro, meses antes de o presidente cubano, Raúl Castro, anunciar uma reforma econômica para a ilha que incluiu a demissão de meio milhão de funcionários públicos e maior abertura da ilha para empresas privadas.

continua após publicidade

A mensagem, enviada pela Seção de Interesses dos Estados Unidos em Havana - uma representação de Washington que não é uma embaixada - foi divulgada hoje pelo WikiLeaks e foi aparentemente escrito pelo mais alto representante da diplomacia norte-americana na ilha, Jonathan Farrar.

continua após publicidade

No documento é descrito um café da manhã do qual participaram o diretor de assuntos econômicos da Seção de Interesses dos EUA e diplomatas de alguns dos principais parceiros comerciais de Cuba, entre eles China, Espanha, Canadá, Brasil e Itália, assim como França e Japão, que estão entre os principais credores da ilha.

"Todos os diplomatas concordaram que Cuba poderá sobreviver este ano sem mudanças substanciais na política, mas a situação financeira poderá chegar a ser péssima dentro de dois ou três anos", disse o telegrama. De acordo com o documento, diplomatas italianos disseram que fontes do governo cubano previram que a ilha "estará insolvente em 2011".

continua após publicidade

China

continua após publicidade

O diplomata chinês disse que seu país estava incomodado com a insistência de Cuba de manter o controle majoritário de empresas conjuntas. "Não importa se uma empresa estrangeira investe US$ 10 milhões ou US$ 100 milhões, o investimento do 'GC' (governo cubano) é sempre de 51%", disse um conselheiro comercial chinês não identificado no telegrama. Os chineses também se queixaram de problemas para receber os empréstimos feitos aos cubanos, em particular com o pedido de Cuba para ampliar de um para quatro anos o tempo para a quitação da dívida.

Segundo o telegrama, as tentativas cubanas de realizar a reforma agrária e outros esforços similares foram ineficazes e era pouco provável que haveria mudanças em Cuba. "Há poucas possibilidades de uma reforma econômica em 2010, apesar da crise econômica que deve piorar ainda mais nos próximos anos", segundo especialistas em Cuba citados no telegrama.

Não é segredo que a situação econômica de Cuba está cada vez pior. Castro já advertiu que o Estado não pode mais subsidiar quase todas as atividades da ilha. O governo oferece saúde e educação gratuitas. Transporte, moradia e serviços públicos são quase gratuitos. Todos os cubanos recebem uma caderneta que lhes dá acesso a alguns alimentos básicos, mas que são insuficientes para o mês inteiro. As informações são da Associated Press.