Geral

Rio tem hospital de campanha para atender feridos

Da Redação ·
Também foram instalados no PAM 40 leitos de retaguarda, ação desenvolvida em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde
fonte: Divulgação
Também foram instalados no PAM 40 leitos de retaguarda, ação desenvolvida em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde

Um hospital de campanha foi montado no Posto de Atendimento Médico (PAM) de Del Castilho, no subúrbio do Rio de Janeiro, neste domingo (28) para receber feridos, principalmente policiais, na operação de ocupação do Conjunto de Favelas do Alemão, na Penha, no subúrbio.

continua após publicidade

O hospital está equipado com duas salas cirúrgicas, quatro leitos de recuperação pos-anestésica (RPA), quatro leitos de pré-operatório, quatro leitos de pós-operatório, um laboratório para realização de exames de emergência, e mais o tomógrafo móvel.

continua após publicidade

Embora o Hospital de Campanha tenha sido instalado para atender prioritariamente aos integrantes da força policial e militar, se algum civil for ferido gravemente na área de conflito será igualmente atendido na unidade, segundo a secretaria. Também foram instalados no PAM 40 leitos de retaguarda, ação desenvolvida em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil.

continua após publicidade

O Hospital de Campanha conta com 10 cirurgiões, três anestesistas, dois enfermeiros, um clínico geral e 10 técnicos de enfermagem. No local, 10 ambulâncias de UTI estão a postos para possíveis transferências.

Além do hospital de campanha, a secretaria mantém em prontidão o atendimento da emergência do Hospital Getúlio Vargas. O serviço foi normalizado neste domingo, que em função dos conflitos dos últimos dias, vinha recebendo apenas feridos na operação policial na Vila Cruzeiro e também no Complexo do Alemão.

continua após publicidade

Assim, as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do GSE voltaram a ter a unidade como referência para pacientes socorridos na região da Penha, cujo caso esteja previsto dentro do perfil da unidade.

continua após publicidade

A equipe de profissionais da unidade permanece reforçada, assim como ocorre na UPA da Penha. As equipes de cada uma das duas unidades foram reforçadas nos últimos dias por 10 médicos e 20 enfermeiros, entre profissionais militares e civis.

Também foi instalado no Hospital Getúlio Vargas uma sala extra com 10 leitos para atendimento de trauma, além de 10 leitos de CTI (8 de adultos e dois pediátricos) na UPA da Penha, que serão mantidos por tempo indeterminado.