Geral

EUA dizem querer diálogo com a Coreia do Norte

Da Redação ·
 Enviado especial dos Estados Unidos à Coreia do Norte, Stephen Bosworth, concede entrevista ao chegar no aeroporto de Haneda, no país oriental
fonte: Toru Hanai/22.11.2010/Reuters
Enviado especial dos Estados Unidos à Coreia do Norte, Stephen Bosworth, concede entrevista ao chegar no aeroporto de Haneda, no país oriental

Os Estados Unidos e seus aliados acusaram nesta segunda-feira (22) a Coreia do Norte de ser um perigo para a região depois de o país ter exibido seus últimos avanços no enriquecimento de urânio, mas o governo norte-americano disse que ainda continua aberto a negociações.

continua após publicidade

A informação de que o cientista Siegfried Hecker viu mais de mil centrífugas no principal complexo nuclear norte-coreano parece confirmar que o país - que é pobre, mas já possui uma bomba com base de plutônio - está a caminho de criar uma segunda fonte de armas com material nuclear.

continua após publicidade

Hecker declarou ao jornal americano The New York Times que ficou "espantado" com a sofisticação da nova usina nuclear e que apresentou à ao governo americano suas conclusões.

continua após publicidade

A divulgação surge num momento em que o governo norte-coreano pressiona as potências regionais para retomar negociações sobre seu programa nuclear.

O enviado dos EUA Stephen Boswoth disse que o episódio é o último de uma série de provocações da Coreia do Norte.

continua após publicidade

- É um problema muito difícil que temos enfrentado há 20 anos.

continua após publicidade

A nova usina observada por Hecker deve ter sido construída rapidamente, já que não existia quando os inspetores internacionais foram expulsos do país em abril de 2009, destaca o Times.

O jornal especula que o governo norte-coreano - que fez o primeiro teste com uma bomba nuclear em 2006 - teria que ter recebido ajuda externa para conseguir construir a nova instalação de maneira tão rápida, além de ter desacatado as rígidas sanções impostas pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Copyright Thomson Reuters 2009