Geral

Goleiro Bruno chora ao falar do amigo Macarrão

Da Redação ·
 Muro em frente ao Tribunal do Júri de Contagem, onde acusados do caso Eliza prestam depoimento, foi pichado
fonte: Eugênio Moraes/Hoje em Dia
Muro em frente ao Tribunal do Júri de Contagem, onde acusados do caso Eliza prestam depoimento, foi pichado

O goleiro Bruno Fernandes chorou na manhã desta quinta-feira (11) ao falar do amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão. Desde as 10h20, o atleta é interrogado pela juíza Marixa Fabiane Lopes no Fórum de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG). Houve um intervalo das 14h às 15h para o almoço e, então, o depoimentoi foi retomado. O jogador se emocionou quando a magistrada perguntou há quanto tempo ele conhece o amigo.

continua após publicidade

Durante o interrogatório, Bruno também admitiu que pode ser o pai do filho de Eliza Samudio e pediu autorização à juíza para ver a criança. Marixa autorizou, mas ainda é preciso consultar a mãe da jovem que, atualmente, tem a guarda do menino. O advogado de Sônia de Fátima Moura disse que é possível que ela permita.

continua após publicidade

Também durante o depoimento, o jogador disse que Eliza pediu R$ 50 mil a ele e decidiu ir a Minas Gerais para receber a quantia. Bruno contou que soube do pedido de dinheiro quando estava na concentração no hotel Windsor e que, na ocasião, ele disse que não teria toda a quantia, apenas uma parte (R$ 30 mil). Ele prometeu depositar o dinheiro na conta da jovem, mas ela preferiu ir até Minas Gerais com Macarrão para receber o cheque.

continua após publicidade

A partir de então, Bruno, Fernanda Gomes Castro, ex-amante do goleiro, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, o menor e Eliza, foram para BH dar o dinheiro restante. O goleiro não explicou porque eles foram para Minas, já que estavam todos juntos no Rio.

Aconselhado por seu advogado, Ércio Quaresma, Bruno só responde a perguntas da juíza. Os questionamentos do Ministério Público e dos defensores de outros réus não serão respondidos.