Geral

Tailândia recebe 20 mil refugiados após combates

Da Redação ·
 Refugiadas de Mianmar carregam sacolas na cabeça ao cruzar a fronteira
fonte: Pornchai Kittiwongsakul/AFP
Refugiadas de Mianmar carregam sacolas na cabeça ao cruzar a fronteira

Os combates deflagrados na segunda-feira (8º) entre rebeldes karens e o Exército, no leste de Mianmar, levaram mais de 20 mil birmaneses a fugir para a Tailândia, informaram nesta terça (9) as autoridades tailandesas.
 

continua após publicidade

Os birmaneses do estado karen atravessaram a fronteira em dois pontos: em Mae Sot, diante da cidade birmanesa de Myawaddy, onde os combates começaram na manhã de segunda, e na passagem dos Três Pagodes, 150 km mais ao sul, onde também ocorrem confrontos.
 

"Há 15 mil refugiados birmaneses em Mae Sot", informou o governador da província tailandesa de Tak, Samard Loyfar. "A noite passada acolhemos cerca de 5 mil refugiados no distrito de Sangkhla Buri", revelou um funcionário do distrito tailandês situado na altura da passagem de Três Pagodes.
 

continua após publicidade

A Tailândia também enfrenta problemas com as inundações que já deixaram 181 mortos. As chuvas torrenciais atingiram, em outubro, 51 das 76 províncias do país. O governo estima que quase oito milhões de pessoas foram afetadas, sobretudo nas regiões sudeste e sul do país. Há dois dias não há registros de temporais em território tailandês.
 

Mianmar
O partido político criado pela junta militar birmanesa para representá-lo nas eleições legislativas de domingo, as primeiras em 20 anos em Mianmar, reivindica 80% dos votos do pleito.
 

As eleições foram marcadas por muitas acusações de fraude contra o Partido da Solidariedade e do Desenvolvimento da União (USDP), dirigido pelo primeiro-ministro Thein Sein, um general que recebeu a responsabilidade de coordenar a disputa eleitoral. O processo de votação foi criticado pelo Ocidente e pela ONU, que destacaram a ausência da líder opositora Aung San Suu Kyi, que está em prisão domiciliar.