Geral

Construção pode ter causado desabamento no RJ

Da Redação ·

Moradores da Rua Laura de Araújo, na região central do Rio de Janeiro, onde um prédio de três andares e duas casas desabaram na manhã de ontem, suspeitam que a construção de um edifício numa rua próxima pode ter abalado as estruturas dos imóveis antigos. "Às vezes o nosso prédio tremia. Estão fazendo obras aqui no centro sem ter ideia de como isso vai afetar as construções antigas", disse a desempregada Priscila Santos da Silva, de 27 anos, que conseguiu escapar do desabamento com os quatro filhos, com idades entre 3 e 10 anos.

continua após publicidade

A dona de casa Antônia de Souza, de 40 anos, vizinha à obra, afirmou que depois do início da construção, o esgoto começou a voltar para a sua casa. O subprefeito do centro, Thiago Barcellos, foi informado da queixa dos moradores hoje, mas disse que não acredita que a obra tenha afetado o prédio e as casas. "A obra não começou. Eles fizeram apenas a limpeza do terreno. Não houve fundação", afirmou.

continua após publicidade

Durante a manhã e parte da tarde de ontem, moradores do local puderam retirar documentos, roupas e móveis de seus apartamentos. O prédio fica ao lado do que desabou e teve sua estrutura afetada. Ao todo, 33 famílias ficaram desalojadas. De acordo com Barcellos, somente uma está em abrigo. As demais, ficaram em casas de parentes.

continua após publicidade

Muitos moradores passaram o dia em cadeiras, em frente aos escombros. Vizinhos se cotizaram e serviram almoço para os desabrigados. Uma padaria e um feirante doaram pães e legumes. Uma sopa estava sendo providenciada para o jantar de hoje. "Estão todos sendo solidários. Ganhamos roupas novas e ajuda de quem a gente nem conhecia", contou a adolescente Carolina Patrícia Rodrigues, de 13 anos, que se abraçou ao irmão, deficiente físico, quando o piso em que eles estavam desabou. Os dois foram resgatados sem ferimentos graves.

Hoje, duas vítimas foram enterradas - a menina Thais de Oliveira, de 6 anos, e Antonia Sátiro do Nascimento, de 46. Estão previstos para hoje os enterros de Stephany Oliveira da Silva, de 7 anos, e Iara Marques, de 50. As doze vítimas internadas no Hospital Municipal Souza Aguiar receberam alta hoje.