Geral

Mortos por tremor e tsunami somam 272

Da Redação ·

As autoridades da Indonésia divulgaram um novo balanço de 272 mortos nesta quarta-feira (27) após a passagem de um tsunami formado após um forte terremoto que atingiu o país na última segunda-feira (25), informaram a agência de notícias EFE e a rede de TV americana CBS.

continua após publicidade

Além do alto número de mortos, a tragédia ainda conta com 412 desaparecidos. As buscas por sobreviventes e desaparecidos na região continuam sob o desafio do mau tempo que dificulta o trabalho das equipes de resgate da Cruz Vermelha.

continua após publicidade

Além dos danos causados pelo terremoto de 7,7 graus na escala Richter, que ocorreu perto da ilha de Sumatra, o país enfrenta outro desafio na ilha de Java. O vulcão Merapi entrou em atividade nesta terça-feira (26) e provocou a morte de 28 pessoas até o momento.

continua após publicidade

Tem parentes ou está na Indonésia? Envie seu relato

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que morou na Indonésia, manifestou seu pesar pelos eventos. O Ministério das Relações Exteriores do Brasil também publicou uma nota sobre a questão. Um brasileiro que estava no local conseguiu entrar em contato com a família para comunicar que está a salvo.

continua após publicidade

O chefe dos serviços de gerenciamento de desastres no oeste de Sumatra, Antorizon (que, como muitos indonésios, tem apenas um nome), disse à rede CNN que relatos de moradores da área falam em destruição total de alguns vilarejos. O tsunami reavivou nos indonésios o temor provocado pelo maior tsunami da história, que atingiu o país em 2004.

continua após publicidade

- As piores áreas são as ilhas de Pagai do sul e do norte. Estamos recebendo relatos de vilas completamente devastadas por lá.

continua após publicidade

O mau tempo, que deixa o mar agitado na região, e a grande quantidade de escombros dificultam o acesso às ilhas, naturalmente isolada do resto do país. A viagem de barco, mesmo com o oceano em condições favoráveis, leva ao menos dez horas.

Aulia Arriani, porta-voz da Cruz Vermelha, disse que uma equipe que partiu nesta terça-feira (26) teve que retornar por causa das más condições meteorológicas. Outro time deveria partir ainda nesta quarta-feira (27), levando 400 sacos para embalar corpos.

A Cruz Vermelha afirmou que planeja enviar mais ajuda de emergência, mas que aguarda informações do governo da Indonésia sobre o tipo de material mais necessário.

De acordo com relatos de testemunhas citadas pela imprensa local, a onda gigante provocada pelo terremoto da última segunda-feira atingiu até 6 m de altura. Ao menos um vilarejo com 200 habitantes foi varrido do mapa. Apenas 40 moradores foram resgatados.