Geral

Parentes choram morte de mineiros soterrados

Da Redação ·
 O pai do mineiro Pedro Mendoza chora a morte do filho em uma mina em Portovelo, após seis dias de buscas
fonte: Rodrigo Buendia/20.10.2010/AFP
O pai do mineiro Pedro Mendoza chora a morte do filho em uma mina em Portovelo, após seis dias de buscas

Os familiares dos mineiros equatorianos Angel Vera e Pedro Mendoza - presos desde o último dia 15 a 150 metros de profundidade em uma mina em Portovelo (405 km a sudoeste de Quito) - ficaram abalados com a notícia de que os corpos deles haviam sido encontrados sem vida na noite desta quarta-feira (20), depois de seis dias de intensas buscas.

continua após publicidade

Na sexta-feira passada, toneladas de terra e pedras soterraram quatro mineiros no quinto nível da jazida de ouro. Um dia depois, foram encontrados os corpos do equatoriano Walter Vera, de 31 anos e chefe do grupo, e do peruano Paúl Aguirre, de 21 anos. Por seis dias, as equipes buscaram Angel Vera, de 29 anos e irmão de Walter, e Pedro Mendoza, de 28 anos.

continua após publicidade

A notícia abalou os familiares que acompanhavam com expectativa os trabalhos de busca. Entre eles, estava a mãe de Angel Vera, consolada por parentes e amigos, que mal conseguia falar.

continua após publicidade

- Por quê? Por quê?

Pedro Mendoza, tio que tem o mesmo nome do mineiro morto, descreveu o drama de sua família.

continua após publicidade

- Vivemos momentos muito difíceis. À medida que passava o tempo, aumentava o desespero e a angústia.

continua após publicidade

Enquanto Angel Vera, pai de três filhos, trabalhava havia anos para a empresa Minesadco, proprietária da mina, Mendoza apenas havia completado um mês de trabalho.

continua após publicidade

Mineiros estavam sem roupa para suportar o calor

Giorgy Ramírez, chefe do grupo de resgate, foi quem conseguiu chegar até o local onde estavam os corpos de Angel e Mendoza.

continua após publicidade

- Eles estavam sem roupa, talvez pelo calor de mais de 40 graus que faz dentro da mina. Deviam estar muito fracos.

continua após publicidade

O técnico César López alertou, na última terça-feira (19), que os mineiros teriam oxigênio apenas até ontem, o que deu esperanças de encontrá-los ainda vivos.

Para dar pistas de seu paradeiro, os mineiros haviam deixado alguns sinais: como lanternas amarradas entre si e colocadas dentro de uma bota.

continua após publicidade

Um mineiro que participou das operações de buscas lamentou.

continua após publicidade

- Não conseguimos chegar a tempo.

continua após publicidade

Colegas desmaiaram ao saber das mortes

Três mineiros desmaiaram no momento em que os corpos foram retirados para o exterior da jazida.

O vice-ministro de Hidrocarbonetos, Carlos Pareja, também lamentou as mortes.

- Lamentavelmente, os trabalhos de resgate concluíram com um saldo trágico. Faltou-nos muito pouco.

O ministro permaneceu na mina de Casa Negra desde a sexta-feira passada, dia do acidente. Pareja disse ainda que o presidente Rafael Correa ficou "destroçado" com a notícia.

O acidente da mina de Portovelo, uma rica zona produtora de ouro da fronteira equatoriana com o Peru, aconteceu depois do bem sucedido resgate, há uma semana, de 33 mineiros no Chile. Eles ficaram soterrados desde 5 de agosto a mais de 600 metros de profundidade na mina de San José, em Copiapó, 800 km ao norte de Santiago.

Copyright AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados