Geral

Mizael nega morte de Mércia e diz ser vítima de armadilha

Da Redação ·

O ex-PM e advogado Mizael Bispo, principal acusado de matar Mércia Nakashima, negou, durante interrogatório nesta quinta-feira (21) no fórum de Guarulhos, que tenha praticado o crime e alegou ser vítima de uma armadilha. Entretanto, ele não soube apontar nomes.

continua após publicidade

- Eu acho que foi uma armadilha que fizeram para mim.

continua após publicidade

Em depoimento de cerca de duas horas, Mizael afirmou, em resposta ao juiz Leandro Bittencourt Cano, que, "nessa profissão de advogado, a gente cria inimigos", sem citar nomes.

continua após publicidade

O juiz perguntou se Mizael achava que o crime fora cometido "com requintes de crueldade". O acusado disse que "não saberia dizer". Cano refez a pergunta, descrevendo a forma como Mércia foi assassinada, ao que Mizael concordou: "sim. Com certeza, [Mércia] foi morta [com requintes de crueldade]". Em outro momento, ele definiu o crime como "gravíssimo".

Também questionado pelo juiz sobre a pena que o responsável pela morte deveria cumprir, o Mizael disse que "a pessoa que comete uma barbaridade dessa e coloca outra como suspeita deve pagar na mesma moeda". O acusado afirmou que pretende começar uma investigação própria para descobrir quem matou Mércia Nakashima.