Geral

Israel diz que Hamas possui mísseis antiaéreos

Da Redação ·

O Hamas, grupo islâmico que governa a Faixa de Gaza, adquiriu mísseis antiaéreos, afirmou hoje o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em reunião com membros do seu partido, o Likud. Os aviões israelenses dominam os céus sobre Gaza, atacando instalações militares do Hamas e assassinando dezenas de militantes procurados.

continua após publicidade

A Força Aérea israelense teve um papel importante durante a ofensiva de três semanas contra Gaza no ano passado, que teve início com ataques aéreos que mataram combatentes do grupo e também muitos civis. Netanyahu afirmou que a liberdade dos céus de Israel está comprometida pelos novos armamentos disponíveis, supostamente contrabandeados para o território por meio de túneis que ligam Gaza ao vizinho Egito. Ele disse que qualquer acordo de paz futuro terá de incluir planos de segurança a respeito dessa nova ameaça.

continua após publicidade

Israel acredita que, apesar de sua ofensiva militar e do compromisso do Egito de interromper o contrabando de armas, o Hamas conseguiu refazer seu arsenal com mísseis de alcance mais longo que podem atingir o coração de Israel.

continua após publicidade

A declaração de Netanyahu marca a primeira vez que uma autoridade israelense diz abertamente que o Hamas possui armamento antiaéreo, embora agentes da inteligência suspeitem do fato. "O problema de segurança não é apenas os novos foguetes que vão entrar em nosso território e ameaçar os centros das cidades. Eu não sei se vocês sabem, mas atualmente estamos lutando para voar perto de Gaza porque eles têm mísseis antiaéreos", disse Netanyahu.

Ele advertiu que os mísseis também podem ameaçar o tráfego aéreo no aeroporto internacional de Israel. "As necessidades de segurança de Israel são reais, as soluções têm de ser reais, não algo no papel. Precisamos encontrar soluções de longo prazo para dar segurança a Israel", disse o primeiro-ministro. Netanyahu não apresentou evidências para suas afirmações. O Hamas acusa o líder israelense de divulgar esse tipo de informação para justificar ataques futuros.