Geral

Polícia do Rio investiga atuação de falso militar

Da Redação ·

Durante três meses, um homem com documentos falsos do Exército conseguiu enganar a inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Seseg) do Rio de Janeiro e foi nomeado coordenador regional de um dos principais projetos da pasta. Dizendo-se tenente-coronel do Exército, Carlos da Cruz Sampaio Júnior, de 44 anos, foi preso, em flagrante, na última quinta-feira, 14, por porte ilegal de arma e falsidade ideológica.

continua após publicidade

Sampaio Júnior era o responsável pela 1ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp), projeto que tem por finalidade estudar o comportamento da violência e planejar ações de combate ao crime. O falso militar foi contratado em julho e integrava a Subsecretaria de Planejamento Operacional. Em agosto, participou de uma perseguição a dois assaltantes de carro, na região da Ilha do Governador, em que um dos bandidos foi morto.

continua após publicidade

Esta não é a primeira vez que Sampaio Júnior, que é filho de um militar da reserva, trabalhou na secretaria de segurança. De 2003 a 2006, o falso militar também integrou a pasta, quando o então secretário de segurança era o ex-governador Anthony Garotinho, agora deputado federal eleito pelo PR.

"Vamos investigar se ele realmente fez os cursos que disse ter feito", disse o delegado-titular da 4ª DP (Praça da República), Ricardo Dominguez Pereira. A Seseg instaurou uma sindicância para apurar em que circunstâncias o falso militar foi contratado. Em nota, a secretaria informou que a mentira foi descoberta em investigação de praxe que é feita na vida de todos os novos funcionários. Mas, de acordo com a assessoria de comunicação do Exército, a farsa foi descoberta pelas Forças Armadas, que alertou a secretaria de Segurança. Também serão investigadas na sindicância denúncias de que o falso militar teria participado de treinamento e planejamento junto à Polícia Militar do Rio.