Geral

Goleiro Bruno passa mal, mas permanece em audiência

Da Redação ·

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais informou que o goleiro Bruno Fernandes teve uma queda de pressão rápida na manhã desta quarta-feira (13) no Fórum de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), mas já se recuperou. Ele e mais oito pessoas acusadas de envolvimento no desaparecimento e morte de Eliza Samudio participam da audiência para o julgamento.

continua após publicidade

A sessão começou por volta de 9h30 desta quarta-feira. É o quarto dia de audiência. A primeira pessoa a ser ouvida, e que ainda prestava depoimento por volta de 12h, era um caseiro. Depois dele, a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues deve ouvir a esposa do homem, um agente policial e delegados que cuidaram do caso. Todas são testemunhas de acusação.

continua após publicidade

Segundo o TJ-MG, o caseiro pediu que os réus não ficassem na sala durante seu depoimento. Também devem ser ouvidas nesta quarta 11 pessoas listadas pela defesa dos acusados. Não há previsão para término da sessão.

continua após publicidade

Desmaio e vômito

Na última quinta-feira (7), os nove acusados de participação no crime compareceram à segunda audiência realizada no fórum de Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte. O goleiro Bruno voltou a passar mal. Ele foi socorrido por bombeiros, que estavam no local por precaução.

continua após publicidade

O atleta vomitou na frente da juíza Ana Paula Lobo Pereira de Freitas, da Vara Criminal e da Infância e da Juventude de Vespasiano. Na quarta-feira passada (6), Bruno desmaiou durante a sessão e foi encaminhado para o Pronto-Socorro João XXIII, onde foi medicado e diagnosticado com sinusite.

continua após publicidade

O advogado de Bruno, Ércio Quaresma, entrou na Justiça com um pedido para que o goleiro cumpra prisão domiciliar, enquanto aguarda pelo julgamento.

continua após publicidade

Processo

No dia 30 de junho, a Polícia Civil de Minas indiciou Bruno e outros oito suspeitos pela morte de Elisa, mesmo sem a prova material do crime: o corpo da vítima. Dias depois, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais aceitou a denúncia do Ministério Público.

Além de Bruno estão presos por envolvimento no crime o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, a amante de Bruno, Fernanda Gomes de Castro, a ex-mulher do goleiro, Dayanne Fernandes, e o primo dele, Sérgio Rosa Sales.