Geral

Membros do Taleban foram mortos hoje no Afeganistão

Da Redação ·

Ataques aéreos e operações em terra realizadas pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e pelas tropas afegãs mataram dezenas de insurgentes, incluindo um graduado líder do Taleban, informou hoje a aliança. A data marca o início do 10º ano da guerra no país, desde a invasão liderada pelos Estados Unidos, em 2001.

continua após publicidade

Dezesseis militantes morreram em ataques aéreos e por terra nos distritos de Darqad, Yangi Qala e Khwaja Bahawuddin, na província de Takhar, informou o chefe da polícia provincial, general Shah Jahan Noori. Mais de 12 insurgentes ficaram feridos. Em Takhar, no norte do país, já houve várias operações militares nos últimos dias, ao mesmo tempo em que a Otan e as forças afegãs ampliam a batalha pelo controle do sul do país, dominado pelo Taleban.

continua após publicidade

Noori disse que o comboio foi emboscado no início do dia de hoje e quatro dos agressores foram mortos. Não houve baixas na coalizão. O comandante do Taleban Maulawi Jawadullah, acusado de organizar emboscadas, ataques com bomba e sequestros de policiais e soldados afegãos, foi morto em um ataque aéreo hoje, no distrito de Yangi Qala, informou a Otan. Jawadullah esteve vinculado com as mortes recentes de dez policiais afegãos, em um ataque a uma delegacia na província de Kunduz, informou a aliança, em comunicado. Sete outros membros do Taleban morreram nessa ação.

continua após publicidade

O dia de hoje marca o nono aniversário da invasão norte-americana no Afeganistão, uma marca frustrante, pois se esperava uma saída rápida, após forças especiais derrubarem o Taleban do poder, em 2001. Também nesta semana, o número de mortos da Otan na guerra superou os 2 mil. Pelo menos 2.004 soldados da Otan morreram no Afeganistão desde 7 de outubro de 2001, segundo um levantamento da Associated Press. O Taleban emitiu um comunicado para marcar a data, afirmando que 75% do território afegão está sob seu controle. O grupo fundamentalista exige a saída imediata das forças estrangeiras do país.