Geral

Diplomata britânica nº 2 no Iêmen escapa de ataque

Da Redação ·

Supostos terroristas lançaram um foguete contra o comboio que levava a segunda diplomata britânica mais importante no Iêmen, e um francês que trabalhava para uma empresa petrolífera austríaca foi morto por um segurança hoje, ataques que elevaram os temores sobre a segurança de ocidentais no país que enfrenta a crescente ameaça de grupos militantes.

continua após publicidade

Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque contra o comboio britânico, mas a violência levanta dúvidas sobre a eficácia da campanha do governo iemenita, apoiada pelos Estados Unidos, de eliminar os militantes da Al-Qaeda, que encontraram um local seguro em partes do país onde o controle do governo central é fraco.

continua após publicidade

O veículo diplomático levava cinco pessoas, dentre elas a vice-chefe da missão, Fionna Gibb, para a embaixada em Sanaa, quando foi atacado, aparentemente por uma granada propelida por foguete. Um funcionário da embaixada sofreu ferimentos leves e já foi tratado, mas os demais saíram ilesos, informou o Ministério do Exterior, em comunicado.

continua após publicidade

Esse foi o segundo ataque em menos de seis meses contra funcionários britânicos no país e o último desde que as autoridades iemenitas aumentaram a segurança ao redor das embaixadas na capital, após receberem informações de que a Al-Qaeda estava planejando um ataque.

Em Londres, o secretário do Exterior William Hague condenou o "vergonhoso ataque" e disse que ele "vai apenas redobrar a determinação britânica de trabalhar com o governo do Iêmen para ajudá-lo a enfrentar os desafios enfrentados pelo país". Ele disse ainda que o Iêmen é um lugar perigoso e difícil para se trabalhar e que as explosões servem como "uma lembrança de que temos um caminho a percorrer" em relação aos esforços para tornar o país mais seguro.

continua após publicidade

Três pessoas que estavam na rua também ficaram feridas, disse um policial, em condição de anonimato. O ataque ocorreu um dia depois de o terceiro mais importante diplomata dos EUA, William Burns, ter visitado o país para falar sobre a situação de segurança.

Um guarda de segurança iemenita atirou e matou um francês contratado pela empresa austríaca de petróleo e gás OMV, nas proximidades de Sanaa, informou a companhia, em comunicado. Um britânico também ficou ferido no ataque e foi hospitalizado. O motivo do ataque está sendo investigado, mas a OMV disse que "até agora não vê um fundo político na ação".