Geral

Obama pede a Israel que paralise obras em territórios palestinos

Da Redação ·
 Crianças palestinas observam militantes de movimento radical; Obama tenta salvar diálogo de paz entre israelenses e palestinos com proposta a primeiro-ministro de Israel sobre uma nova pequena moratória de dois meses
fonte: Mahmud Hams/29.09.2010/AFP
Crianças palestinas observam militantes de movimento radical; Obama tenta salvar diálogo de paz entre israelenses e palestinos com proposta a primeiro-ministro de Israel sobre uma nova pequena moratória de dois meses

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, escreveu uma carta ao primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, pedindo mais dois meses de moratória das construções de colonos na Cisjordânia para evitar a morte do processo de paz com os palestinos, informaram os jornais israelenses Haaretz e Yediot Ahronoth nesta quinta-feira (30).

continua após publicidade
continua após publicidade

Obama pede mais dois meses de congelamento e afirma que a questão das colônias será tratada dentro do processo de paz e definição de fronteiras entre Israel e o futuro Estado palestino.

continua após publicidade

David Makovsky, do Instituto de Políticas para o Oriente Médio de Washington, disse ao Ahronoth na carta Obama também estabelece que os EUA vão vetar qualquer iniciativa no Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) relativas ao processo de paz.

continua após publicidade

O texto também coloca que Washington aceita as reivindicações de segurança de Israel e não irá tentar mudá-las, o que coloca um veto total a qualquer tentativa palestina de contrabandear foguetes, morteiros, armas e itens relacionados, além de proibir toda e qualquer infiltração de terroristas para Israel.

continua após publicidade

O Haaretz descreve ainda que os EUA também se dispõem a apoiar a presença militar israelense no vale do rio Jordão mesmo após o estabelecimento do Estado palestino.

continua após publicidade

O último jornal também coloca, por outro, lado, que apesar de não responder oficialmente sobre a carta, o gabinete de Netanyahu tende a rejeitar a proposta.

Após o fim do congelamento de construções nas colônias, o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, disse que responde se continuará dentro das negociações até a próxima segunda-feira (4), após consultar a Liga Árabe.