Mais lidas
Ver todos

    Geral

    Ato contra a morte de Marielle em SP também critica intervenção militar

    Escrito por FolhaPress
    Publicado em Editado em
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

    PHILLIPPE WATANABE

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ritmado por tambores, o protesto contra a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista Anderson Gomes que saiu do vão livre do Masp, na avenida Paulista, às 15h30, começa a descer a rua Augusta.

    Os manifestantes, que ocupam aproximadamente a extensão de um quarteirão, intercalam a batida feita pela associação Ilú Obá de Min -a mesma responsável pelo bloco de Carnaval de mesmo nome- com gritos de "Marielle Franco, presente" e "Anderson Gomes, presente".

    O protesto foi puxado por uma linha de frente de mulheres negras de mãos dadas. Várias delas com flores também carregam flores.

    Outro foco de crítica da manifestação foram a intervenção militar no Rio de Janeiro e a Polícia Militar, com cantos de "não acabou, tem que acabar, eu quero o fim da polícia militar".

    Policiais presentes afirmaram que havia cerca de 40 oficiais acompanhando o protesto. 

    Gritos de "Fora Temer" também foram ouvidos.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!
    TNTV
    TNTV

    Jornal da Tribuna 2ª Edição - Destaque: Pré Candidato a vereador em Apucarana desmente boato sobre prisão

    Deixe seu comentário sobre: "Ato contra a morte de Marielle em SP também critica intervenção militar"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.