Governo Trump anuncia sanções a russos por interferência na eleição de 2016 - TNOnline
Mais lidas

    Geral

    Geral

    Governo Trump anuncia sanções a russos por interferência na eleição de 2016

    Escrito por FolhaPress
    Publicado em 15.03.2018, 14:35:00 Editado em 15.03.2018, 14:35:10
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    ESTELITA HASS CARAZZAI

    WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - O governo Trump anunciou nesta quinta-feira (15) sanções contra 19 indivíduos e cinco organizações russas por suposta interferência nas eleições presidenciais nos EUA em 2016, dos quais 13 já foram indiciados pelo promotor especial Robert Mueller.

    O governo americano também responsabiliza agentes ligados ao Kremlin por ciberataques a órgãos de Estado do país e a computadores em todo o mundo,  e afirma que eles agiam "em nome do governo russo".

    As medidas, que representam uma escalada na relação dos Estados Unidos com a Rússia, incluem o uso de novos instrumentos aprovados pelo Congresso dos EUA no ano passado para punir Moscou -e não devem ser as únicas represálias ao país.

    "Essas sanções são parte de um esforço maior para combater os nefastos ataques que emanam da Rússia", afirmou o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin. "Nós pretendemos impor sanções adicionais para responsabilizar autoridades e oligarcas russos por suas atividades, restringindo seu acesso ao sistema financeiro dos EUA." 

    Os alvos da medida incluem o Serviço Federal de Segurança russo (FSB, na sigla original), que sucedeu a KGB; a Diretoria Principal de Inteligência (GRU), ligada à inteligência militar do país; Yevgeniy Prigozhin, próximo ao presidente russo Vladimir Putin; e a agência russa Internet Research Agency, que seria responsável por orquestrar ataques online durante a campanha eleitoral americana.

    Segundo os EUA, agentes ligados ao governo russo monitoraram até servidores da Casa Branca, diplomatas, membros das Forças Armadas e oficiais de cibersegurança do país, por meio do FSB, enquanto que o órgão de inteligência militar (GRU) estava "diretamente envolvido em interferir nas eleições americanas de 2016".

    O grupo também teria promovido ataques à infraestrutura do país, monitorando os setores de energia, nuclear, de aviação e de abastecimento -o que motivou um alerta do FBI e do Departamento de Segurança Interna.

    Entre os ciberataques articulados pelos agentes russos, estaria o NotPetya, em junho do ano passado, que danificou a infraestrutura de comunicações da Ucrânia e atingiu computadores em todo o mundo. Nos EUA, hospitais ficaram sem acesso a registros eletrônicos por mais de uma semana, e houve prejuízos ao comércio internacional e a laboratórios.

    "Foi o ciberataque mais destrutivo e custoso de toda a história", informou o departamento do Tesouro, em nota.

    Com as sanções, serão bloqueados bens e ativos nos EUA pertencentes aos alvos, que também não poderão fazer transações financeiras com qualquer cidadão ou entidade americana.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Geral

    Deixe seu comentário sobre: "Governo Trump anuncia sanções a russos por interferência na eleição de 2016"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.