Mais lidas
Ver todos

    Geral

    Escrito por FolhaPress
    Publicado em Editado em
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

    FERNANDO ITOKAZU

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A 12ª edição do ciclo de conferências do Fronteiras do Pensamento acontece de maio a novembro, em São Paulo e Porto Alegre, e apresenta como mote "O Mundo em Desacordo: Democracia e Guerras Culturais".

    Para tratar do tema, foram convidados pensadores de diferentes áreas, como o médico e escritor indiano-americano Siddhartha Mukherjee, o escritor espanhol Javier Cercas e o filósofo e psicólogo Joshua Greene.

    "O Fronteiras sempre busca um tema que se proponha a debater uma indagação contemporânea", afirmou o curador do evento, Fernando Schüler. "Com uma grande diversidade de opiniões, com n pontos de vista, não temos a pretensão de simplesmente facilitar o debate ou chegar a uma conclusão."

    Nesta edição, a organização divulgou que vai adotar formatos diferentes, nos quais serão apresentados posicionamentos polêmicos para gerar debate, convidando o público a repensar a necessidade do diálogo.

    O conceito de aldeia global nos leva, segundo o curador do Fronteiras, à ilusão de que todos estamos em contato, mas ao mesmo tempo tornou árido o debate público.

    "O surgimento de novos temas, novos atores é muito positivo, mas acaba sendo mais um fator para fragmentar esse novo universo político e cultural na democracia contemporânea", disse Schüler.

    Nesse universo ,a dificuldade de produzir o consenso é muito maior, o que acaba provocando o acirramento das guerras culturais.

    Mesmo em um mundo integrado, a empatia é um conceito que continua restrito. "Colocamos o 'nós' na frente do 'eu', mas também o 'nós' contra 'eles'", diz o curador, que cita o conceito da tragédia da moralidade do senso comum, de Joshua Greene.

    Schüler diz que o projeto pretende discutir a democracia e as guerras culturais por diferentes ângulos, passando por genética, literatura, arte, política e mercado.

    Ele afirma que o Fronteiras não tem a pretensão de ser um evento voltado para especialistas ou acadêmicos.

    "Não tenho problema de chamar o evento de entretenimento. Queremos oferecer ao público a oportunidade de saborear a arte de ouvir", disse. "Nesse sentido, não devemos renunciar o conceito de prazer e deleite na cultura."

    Os ingressos serão vendidos apenas em pacotes para os oito encontros da temporada de 2018. Mais informações no site www.fronteiras.com.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!
    TNTV
    TNTV

    Jornal da Tribuna 2ª Edição - 07/07/20

    Deixe seu comentário sobre: "Conferências discutem guerras culturais"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.