Com baixa vacinação de jovens, governo faz apelo por parceria com escolas - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Geral

Com baixa vacinação de jovens, governo faz apelo por parceria com escolas

Escrito por FolhaPress
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

NATÁLIA CANCIAN

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Diante das baixas coberturas de vacinação de adolescentes, o Ministério da Saúde fez um novo apelo às escolas para tentar retomar a parceria na aplicação de doses contra HPV e meningite C e anunciou uma campanha de esclarecimentos sobre a vacina.

A ideia é lançar um vídeo convocando 10 milhões de adolescentes a se vacinarem e reforçar a ação em redes sociais contra mitos e notícias falsas relacionados ao tema.

"O que é colocado nas redes sociais são informações sem evidência científica, mitos que acabam circulando de forma mais forte", diz Carla Domingues, coordenadora do programa de imunizações.

Desde que passou a ser ofertada no SUS, há quatro anos, a vacina contra o HPV tem mantido baixos índices de adesão entre adolescentes, público resistente a procurar as unidades de saúde.

Atualmente, apenas 48,7% das meninas de 9 a 14 anos, a quem a vacina é recomendada, já tomaram as duas doses necessárias para proteção. Se considerada só a primeira dose, o índice é de 79%.

A meta era atingir ao menos 80% do público-alvo --para a estratégia ter sucesso como política pública.

Entre os meninos de 11 a 14 anos, outro público ao qual a vacina passou a ser ofertada no ano passado, só 43,8% já tomaram a primeira dose.

Para o ministério, pesam nesse cenário tanto mitos e boatos disseminados sobre a vacina quanto a dificuldade em imunizar adolescentes.

"É um público que dificilmente conseguimos levar aos postos de saúde, nem sozinhos nem acompanhados pelos pais", afirma o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Segundo ele, a pasta pretende fazer uma nova tentativa de retomar a parceria com as escolas para ofertar a vacinação. A ideia é aumentar a pressão sobre prefeituras e pedir apoio ao Ministério da Educação para organizar a programação junto às escolas.

Desde o ano passado, a pasta também mantém o programa Saúde na Escola, que prevê que diretores verifiquem a atualização da caderneta vacinal dos alunos.

Além da vacinação contra o HPV, a ideia é que escolas e unidades de saúde reforcem a campanha para imunização de adolescentes de 11 a 14 anos contra a meningite C.

No ano passado, foram vacinados 2,3 milhões de adolescentes de 12 e 13 anos contra a doença -o público-alvo, porém, era de 7,2 milhões.

A partir deste ano, a vacina passa a ser ofertada também para meninos e meninas e 11 a 14 anos, daí os cálculos que apontam a necessidade de vacinar até 10 milhões.

A medida segue mudança anunciada em 2017, quando a pasta alterou o esquema de vacinação, incluindo a oferta de dose de reforço também na adolescência.

Antes, a vacina era indicada apenas para crianças, com uma dose aos três meses, outra aos cinco meses e um reforço de 12 meses a até 4 anos.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Com baixa vacinação de jovens, governo faz apelo por parceria com escolas"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.