Com ares de 'moneychanchada', filme "Os Farofeiros" faz piada com Brasil em crise - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Geral

Com ares de 'moneychanchada', filme "Os Farofeiros" faz piada com Brasil em crise

Escrito por FolhaPress
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

ANDREA ORMOND

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O público brasileiro já se acostumou aos filmes de Roberto Santucci. Foi ele quem dirigiu algumas das maiores bilheterias nacionais dos últimos anos, como "De Pernas pro Ar" (1 e 2) e "Até que a Sorte nos Separe" (1, 2 e 3). É por isso que "Os Farofeiros" chega para ser o recordista do verão. O janota Alexandre mete-se em uma encrenca e vai passar o Réveillon com colegas da firma -mais pobres do que ele. A esposa histérica e os filhos vão no pacote. Acabam se hospedando em uma casa caindo aos pedaços.

Era para ser a repetição de tudo o que vimos antes. Ou seja, mais uma "moneychanchada": universo no qual Santucci se tornou especialista e que teve rebentos, como "Tô Ryca!" (2016), de Pedro Antônio.

Nas "moneychanchadas" o culto ao dinheiro substitui o culto ao sexo. Ao invés de nos apaixonarmos por ícones como David Cardoso ou Helena Ramos, amamos a ascensão social.

No entanto, leitores, surgem novidades. "Os Farofeiros" faz uma transição. Os filmes anteriores de Santucci falavam do Brasil forte economicamente, repleto de promessas. "Os Farofeiros" é do país da ressaca, o país da crise. Os colegas de repartição estão ameaçados de perder o emprego. 

Existe, ainda, uma diferença desconcertante entre a família de Alexandre e as dos demais. Alexandre incorpora a classe média, no eterno céu e inferno das escolhas. Viajar para um resort em Búzios ou para onde couber o orçamento?

Enquanto isso, os mais pobres adaptam-se às circunstâncias. Búzios fica em outra galáxia, aceitemos o casebre tosco. Esse embate é o coração da história.

O roteiro de Odete Carmico e Paulo Cursino, apesar de afiado, leva a uma visão muito idealizada da sociedade carioca em que os personagens estão inseridos: a de que, acima de qualquer diferença de classes ou de posições, existirá sempre um denominador comum possível entre todos. 

Cria-se uma "brodagem" para adocicar as diferenças. Alexandre canta no pagode, as mulheres ricas ou pobres estranham-se para depois rirem juntas e de si mesmas.

Já passou a hora de o cinema esquecer os mitos antigos da cordialidade brasileira, escancarando, através do humor, o país complexo e partido em que vivemos.

Citações a "Minha Mãe É uma Peça" e deboches a granel -vide a sequência do monstro na piscina verde- agradam bastante e deixam um bom panorama. Conseguem provar que, sim, o cinema ainda pode ser a maior diversão.

"Os Farofeiros"

Quando: estreia nesta quinta (8)

Elenco: Maurício Manfrini, Cacau Protásio e Danielle Winits

Produção: Brasil, 2017, 12 anos

Direção: Roberto Santucci

Avaliação: Bom

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Com ares de 'moneychanchada', filme "Os Farofeiros" faz piada com Brasil em crise"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.