Geral

Eleições no Afeganistão deixam pelo menos 17 mortos

Da Redação ·
 Mulheres em Cabul fazem fila para participar das eleições parlamentares no Afeganistão
fonte: David Guttenfelder/AP
Mulheres em Cabul fazem fila para participar das eleições parlamentares no Afeganistão

As eleições parlamentas no Afeganistão deixou pelo menos 17 pessoas mortas neste sábado, em meio aos foguetes lançados pelo Taleban e atentados a bomba em locais de votação, além de um ataque ao governador da província de Kandahar, que sobreviveu.

continua após publicidade

A missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão registrou quase o mesmo número de incidentes violentos que tentavam atrapalhar as eleições, em comparação com a disputa presidencial do ano passado, informou um porta-voz. A força da Otan registrou 445 incidentes separados pelo país durante o dia, em comparação com 479 incidentes em 20 de agosto de 2009, na eleição presidencial. Os dados não eram finais, mas incluíam até o momento 227 "incidentes de insurgentes" diretamente relacionados à eleição.

continua após publicidade

Dez membros das forças de segurança afegãs foram mortos em ação neste sábado, e outros 31 se feriram, disse o porta-voz. Trinta e nove soldados da Otan também se feriram em ação. Sete civis afegãos morreram e outros 30 se feriram, segundo os números disponíveis até o momento. Houve 50 ataques com bombas caseiras pelo país.

continua após publicidade

As bombas são em geral detonadas pelo Taleban, tendo como alvo as forças estrangeiras e afegãs. No total, o balanço da Otan afirma que 17 afegãos, entre civis e militares, morreram por causa da violência no dia da eleição.

Essa foi a primeira eleição de âmbito nacional desde a reeleição do presidente Hamid Karzai no ano passado, em uma votação marcada por várias denúncias de fraude, o que prejudicou o apoio internacional ao político.

continua após publicidade

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, elogiou os eleitores afegãos por sua "coragem e determinação". Em comunicado divulgado pela ONU em Nova York, Ban condenou os "atos de violência registrados", sem especificar nenhum deles. Mais de 3,6 milhões de eleitores participaram da disputa.

continua após publicidade

O comandante das forças internacionais no Afeganistão, o norte-americano David Petraeus, também elogiou o comparecimento às urnas, que ficou em 40% neste sábado, segundo o presidente da comissão eleitoral, Fazil Ahmad Manawi. Em comunicado, o general dos EUA afirmou que os afegãos enviaram "uma mensagem poderosa" sobre o futuro do país. "A voz do futuro do Afeganistão não pertence aos violentos extremistas ou às redes de terror. Ela pertence ao povo", disse Petraeus na mensagem. O general também elogiou o trabalho das forças locais para garantir a eleição.

O chefe da Otan, Anders Fogh Rasmussen, elogiou a bravura dos afegãos. Para ele, a população local mostrou uma "determinação para resistir à intimidação" dos extremistas. Rasmussen elogiou ainda as autoridades locais pela organização da disputa eleitoral. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.