Geral

Salário do paranaense é o que mais cresce no Sul e Sudeste 

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Salário do paranaense é o que mais cresce no Sul e Sudeste 
Salário do paranaense é o que mais cresce no Sul e Sudeste 

O salário médio no Paraná aumentou 72,8% em seis anos. O valor, que era de R$ 1.586,16 em dezembro de 2010, passou para R$ 2.741,51 em dezembro do ano passado. Foi a maior variação entre os estados do Sul e do Sudeste, à frente de Santa Catarina (72,3%) e Rio Grande do Sul (69,8%). Em termos reais, já descontada a inflação no período medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), o salário do Paraná cresceu 15,4%.

continua após publicidade

Os dados são de um levantamento do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes) com base nos números da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), divulgada pelo Ministério do Trabalho.

A pesquisa refere-se ao mercado formal de trabalho e abrange tanto os salários pagos pela iniciativa privada quanto pela administração pública.

continua após publicidade

O levantamento mostra que a remuneração no Paraná cresceu acima da média brasileira. No País, o salário médio teve avanço de 63,8%, de R$ 1.742,62 para R$ 2.852 – reajuste real de 9,3%.

SETORES - De acordo com Júlio Suzuki Junior, diretor-presidente do Ipardes, a indústria, a agropecuária e os serviços foram os setores que mais reajustaram salários no Estado no período.

Entre 2010 e 2016, o maior crescimento foi na indústria têxtil, do vestuário e artefatos de tecidos, com variação salarial de 88,7%, de R$ 890,58 para R$ 1.680,33. Em segundo lugar ficou a indústria química de produtos farmacêuticos e veterinários, com reajuste de 87%, de R$ 1.731,40 para R$ 3.238,02. Na agropecuária, houve aumento de 82,1% - a terceira maior variação, de R$ 994,16 para R$ 1.810,39.

continua após publicidade

MESMO NA CRISE - De acordo com Suzuki Júnior, a remuneração cresceu no Paraná mesmo com a crise econômica, que aumentou o desemprego em todo País. “O ápice da crise brasileira foi em 2016, mas mesmo assim houve crescimento real nos salários pagos no mercado formal de trabalho em relação a 2010. No caso do Paraná, o setor industrial, por exemplo, que tradicionalmente paga salários maiores – foi beneficiado pela chegada de novas empresas, com incentivos do programa Paraná Competitivo”, diz.

ENSINO E CRÉDITO - Alguns setores também ajudaram a puxar a média salarial para cima, porque tanto aumentaram a remuneração quanto o estoque de empregos. É o caso das instituições de ensino e das empresas de crédito, seguros e capitalização. O salário pago no setor de ensino cresceu 75,8% entre 2010 e 2016, para R$ 4.655,35. As instituições de crédito, por sua vez, reajustaram em 51,1% a remuneração, para R$ 5.511,18.

O estoque de trabalhadores formais no ensino aumentou 23,9%, de 101,7 mil, em 2010, para 126,03 mil em 2016.

continua após publicidade

As empresas de crédito e capitalização tinham 54,4 mil funcionários formais em 2016, 15% mais do que em 2010 (47,3 mil).

ESTOQUE - O Paraná tinha 3,01 milhões de trabalhadores com carteira assinada em 2016, 8,23% mais do que em 2010 (2,78 milhões de empregados).

Entre 2010 e 2016, o setor que mais ampliou o estoque de empregados foi o comércio atacadista, segmento que vem recebendo investimentos de novas empresas nos últimos anos no Estado. Em 2016 havia 121,5 mil pessoas trabalhando no comércio atacadista no Paraná, 29,1% mais do que em 2010.