Geral

Fidel fala a jornal mexicano sobre seu estado de saúde

Da Redação ·

O ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, deu novos detalhes sobre o quanto ficou doente quando foi forçado a desistir do poder há quatro anos, dizendo numa rara entrevista que ele estava fraco, perigosamente magro e pensou algumas vezes que iria morrer. "Estava às portas da morte, mas voltei", disse o líder cubano, ao jornal mexicano La Jornada, em entrevista publicada hoje.

continua após publicidade

O relato é um dos maiores que ele concedeu desde que deixou a presidência cubana há quatro anos. Desde então, o irmão mais novo de Fidel, Raúl, governa Cuba, embora o ex-presidente permaneça no comando do Partido Comunista.

continua após publicidade

Fidel voltou à cena em julho, após quase quatro anos nos bastidores, usando suas frequentes aparições para alertar que um iminente conflito de Israel e dos Estados Unidos contra o Irã levou o mundo à beira de uma guerra nuclear.

continua após publicidade

Fidel, com 84 anos, conversou apenas com jornalistas da controlada mídia estatal cubana, com exceção de uma entrevista dada em 8 de agosto para jornalistas venezuelanos - na qual ele afirmou duvidar que a crise diplomática entre Venezuela e Colômbia fosse acabar numa guerra.

Numa entrevista de quatro horas ao editor do La Jornada, Fidel disse que durante sua enfermidade seu peso caiu para 66 quilos - muito pouco para um homem que tem 1,90 metro de altura e famoso por ser corpulento - mas disse que agora está pesando 86 quilos. "Não podia esperar viver muito mais, eu me perguntei várias vezes se essas pessoas (os médicos) me manteriam vivo sob essas condições ou se eles me permitiriam morrer".

continua após publicidade

O governo cubano nunca esclareceu oficialmente de qual doença Fidel sofria quando ele ficou enfermo em julho de 2006. Foi amplamente informado que ele sofria de complicações envolvendo diverticulite, uma doença intestinal comum em pessoas mais idosas. Ele disse que passou por várias cirurgias e mencionou o fato novamente na entrevista ao La Jornada.

Fidel foi tratado em um lugar não identificado, embora tenha mantido sua coluna de opinião no jornal estatal Granma. Desde que voltou a reaparecer em público de maneira ostensiva, no mês passado, ele tem parecido mais saudável. A voz do político cubano parece ganhar força quando ele fala. Na entrevista, Fidel descreve seu período de internação, numa cama de hospital e ligado a aparelhos, enquanto se perguntava quanto tempo teria antes que seu sofrimento acabasse.