Geral

Chile começará a perfurar buraco para resgatar mineiros

Da Redação ·
 Os operários sobreviveram 17 dias com ração que deveria durar apenas dois dias
fonte: Efe/28.09.2010
Os operários sobreviveram 17 dias com ração que deveria durar apenas dois dias

A estatal Codelco começará a perfurar nesta segunda-feira um buraco para resgatar os 33 mineiros presos desde 5 de agosto na mina San José, no norte do Chile. Além disso, técnicos chilenos envolvidos na operação elaboraram um plano alternativo, de acordo com informações do jornal espanhol El País. Segundo o diário, esse "plano B" consistiria em alargar um dos três buracos já feitos.

continua após publicidade

Ainda assim, o prazo estudado para o resgate é de entre três e quatro meses. Chegaram a ser divulgadas notícias no país de que haveria um plano para retirar os homens em um mês, o que foi negado pelo governo. Segundo o jornal espanhol, um engenheiro disse que, caso o novo plano seja bem-sucedido, o tempo do resgate poderia passar para dois meses.

continua após publicidade

Nesta segunda-feira, a Codelco iniciará os trabalhos para fazer o buraco que deve, em princípio, ser aquele pelo qual os mineiros passarão. O primeiro passo será fazer um "buraco piloto", similar em tamanho aos outros três. Máquinas maiores começarão devagar a alargar o buraco, fazendo com que a rocha esmagada caia até a área onde estão os mineiros. Os homens presos também devem ajudar nos trabalhos, retirando o entulho que cai no refúgio.

continua após publicidade

Vídeo do subterrâneo

Os homens presos na mina no deserto do Atacama enviaram um novo vídeo por um dos buracos com que se comunicam com o mundo. Na mensagem, eles saúdam os familiares e dizem que estão melhor, após receberem mais comida. Vários choraram ao falar sobre seus familiares. No vídeo, divulgado ontem, os homens aparecem sem camisa, por causa do calor na mina, e vestindo calças especiais, enviadas para que eles se mantivessem secos, reduzindo o risco de contaminação por fungos.

continua após publicidade

"Eu estou enviando minhas saudações a Angélica. Eu te amo tanto, querida", disse Osman Araya, de 30 anos, enquanto chorava. "Diga à minha mãe, eu amo vocês. Eu nunca deixarei vocês, eu lutarei até o fim para estar com vocês." Araya e os 32 colegas dele ficaram presos no dia 5 de agosto, quando o colapso da via principal da mina os isolou. Eles sobreviveram 17 dias com ração que deveria durar apenas dois dias, até que foram localizados. Nesta segunda-feira, eles igualam o recorde de três mineiros que sobreviveram 25 dias em uma mina inundada, no sul da China, no ano passado.

No vídeo, um mineiro explica à família de Ariel Ticona, de 28 anos, que ele não quer aparecer diante da câmera - aparentemente, porque é tímido -, mas diz que ele estava mandando seu amor a eles e que, segundo um mineiro não identificado, ele "está superfeliz e está super, super, superbem!".