Geral

Putin defende diálogo com a Coreia do Norte, em vez de ameaças

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, chamou nesta segunda-feira (15) de "contraproducente e perigoso" o lançamento de um novo míssil norte-coreano, mas defendeu que a comunidade internacional tente dialogar com a Coreia do Norte, em vez de ameaçá-la.

continua após publicidade

"Somos categoricamente contra a ampliação do clube de potências nucleares, inclusive em benefício da Coreia do Norte (...) Nós somos contra e consideramos (o disparo) contraproducente, prejudicial e perigosos", afirmou Putin em uma entrevista coletiva em Pequim.

Mas "temos que retornar ao diálogo, parar de intimidar a Coreia do Norte e encontrar uma solução pacífica para resolver este problema", insistiu.

continua após publicidade

Pyongyang lançou no domingo um míssil balístico que percorreu 700 km antes de cair no Mar do Japão, segundo o exército da Coreia do Sul. Após o lançamento, Putin e o presidente chinês, Xi Jinping, expressaram "preocupação" com o "aumento das tensões".

Em Moscou, o ministério da Defesa indicou que o míssil, que caiu a 500 quilômetros da costa da Rússia, não representou "nenhum perigo" para o país.

REELEIÇÃO

continua após publicidade

Na mesma entrevista coletiva, Putin afirmou que ainda é muito cedo para dizer se irá buscar a reeleição em 2018.

Perguntado se havia chegado a hora de responder a perguntas sobre sua possível reeleição. O presidente disse que ainda não.