Geral

China encontra caixa-preta do avião que caiu no nordeste do país

Da Redação ·
 Imagem mostra avião da Embraer, modelo E-190, como o que caiu na China em voo da Henan
fonte: Xinhua/AP
Imagem mostra avião da Embraer, modelo E-190, como o que caiu na China em voo da Henan

Os serviços de resgate encontraram a caixa-preta do avião da Embraer modelo E-190 da companhia Henan Airlines que caiu nesta terça-feira (24) no nordeste da China com 96 pessoas a bordo, informou a imprensa local.

continua após publicidade

Em um primeiro momento, o número de mortos, segundo informações oficiais, era de 43, mas o governo de Yichun corrigiu a cifra para 42 nesta quarta-feira (25) porque um dos corpos havia sido contado duas vezes. Os familiares e conhecidos começaram a identificar as vítimas.

continua após publicidade

A administração chinesa de aviação civil informou que, das 96 pessoas que viajavam no avião, cinco eram crianças e outras cinco eram membros da tripulação. Fontes oficiais confirmaram também que um grupo de funcionários do Ministério de Recursos Humanos e Seguridade Social estava entre os passageiros.

continua após publicidade

A imprensa local divulgou a informação de que o capitão também sobreviveu à queda e está no hospital, mas não tem condições de dizer o que aconteceu. O avião da Henan Airlines decolou de Harbin, capital da Província de Heilongjiang, em um voo curto para Yichun, cidade a 360 km dali, perto da fronteira russa.

As causas do acidente ainda são desconhecidas. O denso nevoeiro, no entanto, está sendo apontado como uma das possíveis causas, devido à pouca visibilidade para a aterrissagem. A revista chinesa de economia Caijing chegou a publicar em seu site que o aeroporto de Yichun não está preparado para operar à noite.

continua após publicidade

Embraer envia técnicos

continua após publicidade

A fabricante brasileira de aviões Embraer enviou uma equipe de técnicos para investigar o acidente. A queda ocorreu no mesmo dia em que dois outros acidentes aéreos viraram notícia. O primeiro, no Nepal, não deixou sobreviventes. O segundo ocorreu nas Bahamas, onde que seis pessoas se salvaram.

O último grande acidente aéreo da aviação comercial chinesa aconteceu em novembro de 2004, quando um Bombardier CRJ-200LR se acidentou perto de Baotou, no norte do país, causando a morte de 53 pessoas a bordo e outras duas em terra.