Geral

Atentado mata ao menos 75 em festa do Dia da Bastilha no sul da França

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Atentado mata ao menos 75 em festa do Dia da Bastilha no sul da França
Atentado mata ao menos 75 em festa do Dia da Bastilha no sul da França

Um atentado deixou ao menos 75 mortos e 50 feridos nesta quinta-feira (14) quando um caminhão avançou sobre milhares de pessoas que participavam da festa da Queda da Bastilha em Nice, no sul da França.

continua após publicidade

Segundo o governo local, que classifica a ação como atentado, o caminhão estava carregado com armas e granadas. A Presidência da República ainda não confirmou a hipótese de atentado.

A informação sobre os mortos foi concedida pelo Tribunal de Nice. O número de vítimas, porém, pode aumentar. O jornal "Le Figaro", citando fontes da polícia, disse que 73 pessoas foram mortas.

continua após publicidade

O veículo entrou na área fechada da Esplanada dos Ingleses, avenida litorânea da cidade da Côte D'Azur, por volta das 22h30 (17h30 em Brasília), pouco antes da queima de fogos que marca o mais importante feriado francês. Segundo o sub-prefeito da cidade, o caminhão teria percorrido uma longa distância.

Os espectadores da festa ficaram em pânico e saíram correndo. O governo da região de Alpes-Maritimes, onde fica Nice, pediu à população que voltasse a suas casas e ficasse em locais fechados.

Cinquenta minutos depois, a polícia cercou a área onde estava o caminhão, perto da praça Masséna. Segundo a imprensa francesa, um dos ocupantes do caminhão foi morto e o outro continua foragido.

continua após publicidade

Integrantes da polícia consultados pelo "Le Figaro" disse que, no baú do veículo, foram encontradas diversas armas de pequeno e grosso calibre, assim como granadas. A informação, porém, ainda não foi confirmada oficialmente.

Também não houve reivindicação de nenhum grupo terrorista até o momento. Nos fóruns ligados a militantes da milícia terrorista Estado Islâmico, entretanto, diversos usuários comemoraram o atropelamento.

O presidente francês, François Hollande, que estava em Avignon para o feriado da Revolução Francesa, voltou a Paris para fazer uma reunião do gabinete de crise. O Ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, viajou a Nice.

Mais cedo, Hollande havia afirmado que não pretendia estender o estado de emergência em vigor desde a série de atentados de Paris, em novembro. A medida seria suspendida no próximo dia 26. Em mensagem nas redes sociais, o presidente interino, Michel Temer, lamentou o ataque no sul da França.