Geral

Incêndio em museu fecha estação de metro

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Incêndio em museu fecha estação de metro
Incêndio em museu fecha estação de metro

A estação Luz da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) continua fechada nesta terça-feira (22) após um incêndio que destruiu parte do prédio e toda a instalação do Museu da Língua Portuguesa, na região central de São Paulo.
Segundo a companhia, ainda não há previsão para a reabertura da estação de trem, que depende de vistoria e liberação do Corpo de Bombeiros. O complexo da estação da Luz continuava totalmente interditado nesta madrugada.
O presidente da CPTM, Paulo Magalhães, disse aguardar avaliação do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) para saber que a estação da Luz seja reaberta. Segundo ele, aparentemente as dependências da CPTM foram pouco prejudicadas.
A alternativa será utilizar as estações Brás e Barra Funda para as interligações. Cerca de 300 mil pessoas utilizam a estação da Luz todos os dias.
A estação serve como entroncamento de duas linhas do Metrô (1-azul e 4-amarela), e duas linhas da CPTM (11-coral e 4-rubi).
O INCÊNDIO
O incêndio que destruiu parte do prédio da estação da Luz, patrimônio histórico na região central de São Paulo, devastou todo o Museu da Língua Portuguesa, um dos mais visitados da cidade e abrigado no local desde 2006.
Um bombeiro civil que trabalhava no local, intoxicado com a fumaça, morreu com parada cardiorrespiratória.
Segundo os bombeiros, as chamas destruíram o segundo e terceiro andares do prédio, mas, em princípio, não afetaram a estrutura da estação de trem local -onde passam 200 mil pessoas ao dia.
No local, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse que irá reconstruir o museu.
O incêndio começou por volta das 15h50 desta segunda (21) e foi controlado duas horas e meia depois. Uma imensa nuvem de fumaça cinza se espalhou pelo centro da cidade, e o teto de madeira do prédio, restaurado no século passado, desabou.
Para conter as chamas, os bombeiros contaram com a ajuda da forte chuva que desabou à tarde na capital.
Como toda segunda-feira, o museu estava fechado ao público. Funcionários relataram que deixaram o prédio após ouvir o alarme de incêndio.
"O museu foi totalmente afetado, é uma tragédia", disse o secretário estadual de Cultura, Marcelo Araújo. Todo acervo do museu, porém, é digital e, segundo ele, conta com cópia de segurança -ainda não há estimativa de prejuízo.

continua após publicidade