Geral

Região Oeste terá R$ 6,6 milhões para mutirão de cirurgias eletivas e serviços

Da Redação ·
Foto: Agencia estadual de notícias
Foto: Agencia estadual de notícias

O secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, anunciou nesta quarta-feira (16), em Cascavel, uma série de investimentos para fortalecer a rede pública de saúde na região Oeste. 

continua após publicidade

São pelo menos R$ 4,8 milhões para iniciar o mutirão paranaense de cirurgias eletivas e mais R$ 1,8 milhão para evitar o fechamento do Samu Oeste e do Serviço Integrado de Saúde Mental do Paraná (SIMPR), que enfrentam graves dificuldades financeiras. Os recursos para garantir a manutenção do Samu e do SIMPR serão repassados em parcela única já em outubro. 

continua após publicidade

A medida é emergencial, já que o déficit gerado pela falta de habilitações e qualificações por parte do Ministério da Saúde tem pressionado o caixa dos consórcios que gerenciam os dois serviços – Consórcio Intermunicipal do Samu Oeste (Consamu) e Consórcio Intermunicipal de Saúde do Oeste do Paraná (Cisop). De acordo com Caputo Neto, são recursos extras que o Governo do Estado destinará para apoiar ainda mais os municípios no custeio das duas estruturas.

"O financiamento do Samu e do SIMPR deveria ser compartilhado entre municípios, Estado e União. Contudo, o governo federal não tem cumprido com a sua parte e por isso tivemos que alocar recursos próprios para suprir esse déficit e evitar o fechamento desses serviços que salvam vidas", afirmou. 

O secretário explica que tanto o SIMPR quanto o Samu têm abrangência regional e beneficiam milhares de paranaenses. Para o Samu, por exemplo, além do custeio mensal, o Estado banca as despesas do helicóptero de resgate da Rede Paraná Urgência, que desde o início de suas operações, em 2013, já fez mais de 480 transportes aéreos. 

continua após publicidade

"A aeronave tem feito a diferença no atendimento a pacientes em situação critica, pois reduz significativamente o tempo de resgate e transporte das vítimas a hospitais de referência. Tempo este que muitas vezes é decisivo para a sobrevivência dos pacientes", ressaltou o diretor da 10ª Regional de Saúde de Cascavel, Miroslau Bailak. MUTIRÃO – Durante a solenidade desta quarta-feira, foi anunciada ainda uma parceria inédita entre o Governo do Estado e o município de Cascavel para ampliar a oferta de procedimentos através do Mutirão Paranaense de Cirurgias Eletivas, lançado pelo governador Beto Richa no início do mês. 

A intenção é aplicar inicialmente R$ 6 milhões para diminuir o tempo de espera por cirurgias eletivas em Cascavel. Em algumas especialidades, como é o caso da oftalmologia, será possível zerar a fila de pacientes que aguardam por uma cirurgia. Com a parceria, os custos serão compartilhados entre Estado (70%) e Prefeitura de Cascavel (30%). 

"Desta forma, o Governo Estadual destinará R$ 4,8 milhões e o município R$ 1,2 milhão, possibilitando a realização de pelo menos 6 mil cirurgias a mais no período de um ano", informou o prefeito de Cascavel, Edgar Bueno. 

Através do mutirão, os hospitais e clínicas prestadoras de serviços receberão de 50% a 100% a mais do que é pago pelo SUS para a realização de procedimentos em diversas especialidades, como ortopedia, vascular, geral e catarata. Em alguns hospitais, o mutirão já começou.