Geral

Polícia prende quadrilhas que agiam em caixas eletrônicos

Da Redação ·
 Operações apreenderam grande quantidade de armas e explosivos | Foto: AEN
Operações apreenderam grande quantidade de armas e explosivos | Foto: AEN

Doze pessoas foram presas suspeitas de integrar duas quadrilhas especializadas em explodir caixas eletrônicos no Paraná. Uma delas é suspeita de estourar três caixas eletrônicos localizados no supermercado Walmart, no bairro Santa Quitéria, em Curitiba, em maio. Integrantes de uma das quadrilhas também são apontados pela polícia como autores do assalto à agência do BB e Sicredi de Borrazópolis, em julho, quando vários moradores foram usados como escudos pelos assaltantes. 

“São quadrilhas com armamento pesado e atitudes violentas, empregando técnicas de guerrilhas nessas ações. Desde o começo do ano temos focado no trabalho de inteligência para mapear estas quadrilhas. Temos ações sistemáticas de combate a essa modalidade de crime organizado e o resultado estatístico tem sido positivo”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Wagner Mesquita. 

A primeira ação da polícia aconteceu no sábado, na BR-277, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, quando sete pessoas foram detidas após uma troca de tiros – cinco homens e duas mulheres. Um dos bandidos, apontado como membro de uma facção criminosa, morreu após o confronto com a polícia. Este grupo é apontado como um dos criminosos envolvidos na ação em Borrazópolis. 

Em seguida, a polícia localizou uma chácara no município de Ortigueira, que era usada pela quadrilha. Lá os policiais encontraram máscaras, uma arma calibre 12 semiautomática, espingarda de pressão, munição calibre 22, documentos falsos com foto de um homem não identificado e lacres para placas de veículos.  Parte da segunda quadrilha foi presa no domingo (13) e na manhã de ontem na Região Metropolitana de Curitiba.

O secretário da Segurança Pública ressaltou que a Pasta vai acompanhar e cobrar a instalação de sistemas de segurança privados, em agências bancárias e caixas eletrônicos, pelas empresas responsáveis.

continua após publicidade