Geral

MP vai propor ação contra Richa, Francischini e oficiais por agressão a professores  

Da Redação ·
Protesto em 29 de abril acabou com mais de 200 feridos (Foto: Arquivo)
Protesto em 29 de abril acabou com mais de 200 feridos (Foto: Arquivo)

Durante entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (29), em Curitiba, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) anunciou que vai entrar com uma ação civil pública contra o governador Beto Richa (PSDB), o ex-secretário e atual deputado federal Fernando Francischini (SD) e os coronéis César Kogut, Arildo Luís Dias e Nerino Mariano de Brito. Eles foram apontados como responsáveis pela operação policial do dia 29 de abril, no Centro Cívico, em Curitiba, que resultou em mais de 200 feridos. 

continua após publicidade

O MP também anunciou que irá recorrer à Procuradoria-Geral da República (PGR) para pedir a abertura de um processo contra Richa e Francischini por improbidade administrativa. O anúncio foi feito pelo MP há exatamente dois meses do episódio.

No dia 29 de abril, os professores da rede estadual protestaram contra a votação do projeto do governo do estado que reformou a previdência dos servidores. Segundo o sindicato da categoria, 22 mil pessoas participaram das manifestações. A prefeitura de Curitiba, que ajudou no socorro aos manifestantes, informou que mais de 213 se feriram. (Com informações da Gazeta do Povo)