Geral

​Após amiga morrer, jovens mantêm campanha para doação de medula no PR

Da Redação ·
As amigas com Poliana Deves, no centro, no começo da campanha (Foto: Arquivo pessoal)
As amigas com Poliana Deves, no centro, no começo da campanha (Foto: Arquivo pessoal)

Mesmo após perderem a amiga para a leucemia, as jovens Joana Carneiro, Aline Prestes, Camilla da Silva, Luciane Pramiu, Fernanda Dalsasso e Keli Deves que moram em Cascavel, no oeste do Paraná, decidiram continuar com a página no Facebook para incentivar a doação de medula óssea.

continua após publicidade

O projeto, iniciado em setembro de 2014, divulgou a história da enfermeira Poliana Deves e ajudou na busca por um doador. Infelizmente, Poliana não resistiu ao transplante. A jovem de 25 anos morreu no dia 7 de abril deste ano, por complicações após o procedimento realizado no dia 27 de março, no Hospital das Clínicas, em Curitiba. Ela não resistiu a uma infecção generalizada provocada por uma bactéria.

Apesar da dor da perda, um mês após a morte, as amigas decidiram continuar com a campanha. "Foi um pedido que a Poli fez para a irmã, Keli, que não queria que parasse a campanha.

continua após publicidade

No começo a gente ficou abalada, mas aos poucos voltamos a conversar sobre o assunto e decidimos retomar a campanha", conta Aline. Joana diz que a decisão de continuar não foi fácil. “A gente lembra do que a Poli falava, de nunca desistir e a força de continuar vem dela. A campanha é uma forma de sentir ela um pouco mais perto. Não é mais para ela, mas agora é por ela”, afirma.

Como as amigas explicam, a campanha terá, a partir de agora, dois focos: “Vamos incentivar as pessoas a fazerem o cadastro para a doação de medula. Informar para que elas se conscientizem e não desistam de doar quando acharem um paciente compatível”, explica Joana. “Também vamos ajudar as famílias. Observamos, acompanhando a história da Poli, que muitas famílias não têm informações sobre a doença e sobre as possibilidades de tratamento”, completa.

Por enquanto muitas pessoas publicam no espaço, na rede social, mensagens de apoio aos amigos e familiares da Poliana, mas a ideia é retomar a campanha de doação de medula. “Sábado (16), nós vamos nos encontrar para gravar um vídeo questionando se as pessoas sabem o que é o transplante de medula. Vamos convidá-las a gravar vídeos também”, explica Joana.