Geral

​Professores e polícia entram em confronto durante votação na Alep

Da Redação ·
Manifestante fica ferido em protesto no Paraná  (Foto: Giuliano Gomes/ PRPRESS)
Manifestante fica ferido em protesto no Paraná (Foto: Giuliano Gomes/ PRPRESS)

A votação em segundo turno do projeto de lei que promove mudanças no custeio do Regime Próprio da Previdência Social dos servidores estaduais – a ParanaPrevidência - começou tumultuada nesta quarta-feira (29) na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Desde o início da sessão dentro do Plenário, que começou por volta das 15h, há confronto entre a Polícia Militar (PM) e os professores, que são contra a votação do projeto. A categoria está em greve desde sábado (25) e milhares de alunos estão sem aula. Pelo menos 100 pessoas estão feridas, segundo a Guarda Municipal. Desses, 42 precisaram de atendimento médico.

continua após publicidade

Às 16h, milhares de manifestantes tentavam ultrapassar a barreira humana feita pelos policiais para poder acompanhar a sessão. A polícia usou bombas de efeito moral e spray de pimenta e gás lacrimogêneo, de acordo com os manifestantes. A aprovação das mudanças, em primeiro turno, ocorreu em uma sessão na tarde de terça-feira com 31 votos favoráveis e 20 contrários. O projeto de lei muda a fonte de pagamento de mais de 30 mil beneficiários para o Fundo Previdenciário. Com isso, o governo deixa de pagar sozinho essas aposentadorias e a divide a conta com os próprios servidores, já que o fundo é composto por recursos do Executivo e do funcionalismo.

A medida cria uma economia de R$ 125 milhões mensais ao governo. Servidores são contra a medida. Eles alegam que a mudança comprometeria a saúde financeira da ParanaPrevidência, ou seja, faria que com o tempo a instituição tivesse mais a pagar do que a receber. Os professores alegam que a mudança comprometeria a saúde financeira da ParanaPrevidência, ou seja, faria que com o tempo a instituição tivesse mais a pagar do que a receber.