Geral

Motoristas contra mobilização dizem receber ameaças de manifestantes

Da Redação ·
Em Cascavel, no oeste do Paraná, manifestantes estão concentrados próximo ao Trevo Cataratas, na BR-277; policiais rodoviários federais acompanham a movimentação (Foto: PRF / Divulgação)
Em Cascavel, no oeste do Paraná, manifestantes estão concentrados próximo ao Trevo Cataratas, na BR-277; policiais rodoviários federais acompanham a movimentação (Foto: PRF / Divulgação)

Forçados a parar em postos de combustíveis às margens de algumas rodovias no Paraná, motoristas estão com medo de tentar seguir viagem. Em Medianeira, no oeste, caminhoneiros disseram que manifestantes atacaram um caminhão a pedradas.

continua após publicidade

Os protestos que se estendem por vários estados desde as primeiras horas desta quinta-feira (23) foram motivados pela falta de acordo com o governo federal e tentam exigir do governo o estabelecimento de uma tabela com valores mínimos para os fretes. “O que deixa a gente mais indignado é que quem está ali na pista não trabalha com caminhão. São funcionários de transportadoras. Tive que parar aqui no posto porque abordaram a gente na entrada da cidade. E se não parar, tem uns caras no barranco, tacando pedra nos caminhões, como aconteceu com um colega nosso de outra empresa”, aponta o caminhoneiro Joanir Coutinho, de Joinville (SC), parado em Medianeira, no oeste do Paraná.

“A gente fica ressabiado de levar uma pedrada de graça”, completa. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), até as 12h havia registro de protestos em ao menos seis pontos em quatro rodovias federais do estado. Ainda durante a madrugada, manifestantes bloquearam a BR-376, em Marialva, na região norte. No trecho, o trânsito é liberado apenas para veículos de passeio e de urgência e emergência.

continua após publicidade

Em outros quatro pontos, os manifestantes orientam os caminhoneiros a pararam nos postos de combustíveis às margens das rodovias. Os pontos de protestos estão localizados em trechos da BR-277, em Medianeira, Cascavel – no Trevo Cataratas – e em Laranjeiras do Sul, e na BR-163, em Capitão Leônidas Marques. Na BR-467, em Toledo, os caminhoneiros estão parados no acostamento nos dois sentidos da rodovia. No sudoeste, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) também registrou protestos em Realeza, na PR-182, e em Marmeleiro, na PR-280, onde mais de 300 caminhões estão parados em postos de combustíveis.