Geral

​Brinquedo que causou morte no PR estava em local impróprio, diz perícia

Da Redação ·
Criança foi arremessada em porta de vidro por brinquedo inflável (Foto: Arquivo pessoal)
Criança foi arremessada em porta de vidro por brinquedo inflável (Foto: Arquivo pessoal)

O brinquedo inflável que provocou a morte de uma criança de 9 anos em Palmeira, na região dos Campos Gerais do Paraná, estava montado em um local impróprio e mal preso ao chão, afirmou o Instituto de Criminalística nesta segunda-feira (13).

continua após publicidade

O acidente aconteceu na tarde de sábado, em uma festa particular de aniversário em um clube da cidade. O escorregador inflável acabou tombando e arremessou a menina contra uma porta de vidro. Os cacos machucaram bastante a vítima, que foi socorrida pela família. Entretanto, ela morreu antes mesmo de chegar ao hospital.

Segundo a perito Eliane Martins, do Instituto de Criminalística, o brinquedo estava perto de edificações de alvenaria - um quiosque e um salão principal com portas de vidro, o que não é recomendado. "O escorregador inflável também não estava adequadamente fixado ao solo", acrescenta. Conforme Eliane, o brinquedo deveria estar preso em ambas as laterais, já que o escorregador tem ganchos para fixação nos dois lados.

continua após publicidade

A Polícia Civil abriu inquérito para apurar as responsabilidades do acidente.

De acordo com o delegado Plínio Gomes Filho, nesta segunda-feira, familiares e outras testemunhas, além de integrantes da empresa que montou o brinquedo, devem ser ouvidos. "O inquérito termina quando o laudo do Instituto de Criminalística for finalizado", diz. Aí, então, os responsáveis podem responder por homicídio culposo, já que não houve intenção de matar, mas a morte foi motivada por negligência ou imprudência, conforme o laudo. A pena de reclusão é de 1 a 3 anos e pode ser aumentada em até um terço.